Coronavírus: voluntários estão a produzir máscaras de protecção no Fundão

O objectivo é produzir máscaras de protecção reutilizáveis em tecido para fazer face às necessidades locais e que serão distribuídas em função das necessidades.

,Máscara cirúrgica
Foto
A Câmara do Fundão ressalva que estas máscaras não substituem as cirúrgicas paulo pimenta

Uma rede de voluntariado, que integra pessoas e instituições do Fundão, distrito de Castelo Branco, está a produzir máscaras de protecção em tecido para ceder à Protecção Civil nesta fase de combate à pandemia covid-19.

Com a denominação #FundãoMask, esta rede conta com o apoio da Câmara do Fundão e integra o CACFF - Projecto Matriz, residentes do Centro de Migrações do Fundão e pessoas que sabem costurar. Estas máscaras, no entanto, não substituem as cirúrgicas, ressalvou a Câmara do Fundão.

O objectivo é produzir máscaras de protecção reutilizáveis em tecido para fazer face às necessidades locais e que serão distribuídas em função das necessidades do executivo, informa o município em nota de imprensa enviada à agência Lusa. “Estas máscaras são feitas em tecido lavável a pelo menos 60 graus ou simplesmente com água e sabão a cada utilização”, é referido.

Segundo a autarquia, o projecto já está em marcha e segue as regras de distanciamento social aconselhadas pelas autoridades de saúde. O corte dos tecidos é feito no Seminário do Fundão, enquanto a costura é realizada em casa de pessoas que sabem costurar e que aderiram ao projecto.

Já o transporte de um local para o outro é feito por técnicos da câmara e do Projecto Matriz, que também seguem todos os procedimentos de prevenção. O projecto está disponível para ceder as máquinas do ateliê de costura, caso algum voluntário necessite.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, infectou mais de 220 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8900 morreram. Em Portugal, a Direcção-Geral da Saúde (DGS) elevou esta quinta-feira o número de casos confirmados de infecção para 785, mais 143 do que na quarta-feira. O número de mortos no país subiu para três.

Dos casos confirmados, 696 estão a recuperar em casa e 89 estão internados, 20 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI). Das pessoas infectadas em Portugal, três recuperaram.

Sugerir correcção