Coronavírus: Já não há museus nem monumentos nacionais abertos

Direcção-Geral do Património Cultural estendeu este domingo o encerramento por tempo indeterminado a todos os equipamentos sob a sua tutela. Direcções-regionais também vão fechar equipamentos.

Foto
A Fortaleza de Peniche, actual Museu Nacional Resistência e Liberdade, também fechou as suas portas ao público NUNO FERREIRA SANTOS

A Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC) anunciou este domingo que ​"estão encerrados todos os monumentos, palácios e museus nacionais sob sua gestão directa”, no contexto do combate à pandemia da covid-19. A data de reabertura dos 24 equipamentos agora abrangidos pela medida não foi avançada.

Após o encerramento, na sexta-feira, do Mosteiro dos Jerónimos, da Torre de Belém e do Museu Nacional de Arqueologia, em Lisboa, a lista de equipamentos tutelados pela DGPC que decidiram fechar as suas portas ao público foi crescendo de hora para hora, tendo-se estendido inicialmente aos Mosteiros da Batalha e de Alcobaça, ao Convento de Cristo, em Tomar, ao Museu Nacional Machado de Castro, em Coimbra, e ao Museu Monográfico de Conímbriga, e também ao Museu Nacional dos Coches, ao Palácio Nacional da Ajuda, ao Museu Nacional da Música, ao Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado e à Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves, todos em Lisboa. Ao final do dia, juntaram-se à lista o Panteão Nacional, o Museu Nacional do Azulejo e o Palácio Nacional de Mafra.

Esta manhã, o Museu Nacional de Arte Antiga, também em Lisboa, veio igualmente anunciar o seu encerramento, “para prevenção e salvaguarda da saúde pública”. Entretanto, o site da DGPC actualizou o rol de equipamentos fechados, no qual se incluem ainda os museus nacionais de Etnologia, do Traje e do Teatro e da Dança bem como o Museu de Arte Popular, em Lisboa; o Museu Nacional Resistência e Liberdade – Fortaleza de Peniche; o Museu Nacional Grão Vasco, em Viseu; e o Museu Nacional Soares dos Reis, no Porto. Apenas o Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo, em Évora, não aparece mencionado na página oficial da DGPC, mas o PÚBLICO apurou junto da assessoria do Ministério da Cultura (MC) que também fechará portas.

O “normal funcionamento" destes equipamentos "será retomado tão breve quanto as condições o permitam”, informa a DGPC.

Segundo o MC, encerrarão também os museus, monumentos e sítios dependentes das direcções-regionais de Cultura, como o Museu Abade Baçal e o Domus Municipalis, em Bragança, o Museu D. Diogo de Sousa, o Museu dos Biscainhos e o Mosteiro de Tibães, em Braga, ou Museu de Lamego, entre muitos outros, para citar apenas exemplos da região Norte.

Sugerir correcção