Há 600 anos, na mouraria de Moura, já havia quem importasse artigos de luxo

Nova investigação mostra que no bairro islâmico desta cidade alentejana, ocupado no século XIV por artesãos e horticultores que tinham sido expulsos das muralhas pela Reconquista, havia quem comprasse cerâmicas sofisticadas e mantivesse contactos com Sevilha e Granada. Depois da sua requalificação, premiada em 2014, dá gosto passear pelas ruas desta mouraria.

Fotogaleria
Fotogaleria
Sítio arqueológico
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria

Os seus nomes parecem resultar da organização meramente burocrática de uma parte da cidade, mas não há nada de enfadonho nas ruas do antigo bairro islâmico de Moura. Há gente à conversa, velhos e novos, homens na taberna, mulheres a estender roupa ou a brincar com crianças, e uma rapariga a aprender a andar de bicicleta. Se a estes quadros que podiam ter saído de um álbum de fotografias do Portugal dos anos 50 juntarmos casinhas caiadas de branco, imaculadas, com vasos de plantas à porta, temos uma mouraria alentejana em versão postal. É assim desde que o programa de revitalização urbana desta sede de concelho, realizado entre 1997 e 2017, passou por aqui.