Opinião

O pato da Guiné-Bissau

Umaro Sissoco Embaló desafiou a CEDEAO, deixou de ser parceiro do diálogo, para assumir que o poder é seu. Resta saber se a comunidade internacional aceita que se possa chegar ao poder através da “anarquia”, como classificou as acções do autoproclamado Presidente.

Quando tem bico de pato, penas de pato, pés de pato e grasna como um pato, o mais provável é ser um pato. Quando um candidato se autoproclama Presidente, marca a sua própria tomada de posse, usa soldados para ocupar ministérios e instituições públicas e hostilizar ministros, corta a transmissão da televisão e rádio públicas e se nega a receber uma missão internacional, o mais provável é ser um golpe de Estado.