Comissão Nacional de Protecção Civil activada em permanência devido ao Covid-19

Essa comissão vai a partir de agora estar activada, não fisicamente como aconteceu na noite desta terça-feira, mas “online”.

Eduardo Cabrita
Foto
Eduardo Cabrita LUSA/TIAGO PETINGA

A Comissão Nacional de Protecção Civil vai funcionar a partir de agora em permanência, para fazer face ao novo coronavírus, que causa a doença Covid-19, disse esta terça-feira o ministro da Administração Interna.

Eduardo Cabrita falava aos jornalistas esta noite na Autoridade Nacional de Protecção Civil, em Carnaxide, Lisboa, onde durante três horas esteve reunida a Comissão Nacional de Protecção Civil para debater a situação em relação ao Covid-19. Essa comissão vai a partir de agora estar activada, não fisicamente como aconteceu na noite de hoje, mas online.

Segundo Eduardo Cabrita, na reunião desta terça-feira foi feita a caracterização da situação e concluído que se está “numa fase de contenção”, sendo “essencial a rápida actualização dos planos de contingência”, que devem ser actualizados em função das orientações da Direcção-Geral da Saúde (DGS).

A comissão reúne representantes de todos os ministérios, das regiões autónomas, dos municípios e das freguesias, dos bombeiros e das Forças Armadas e de segurança, a Autoridade Marítima Nacional e a Autoridade Nacional da Aviação Civil, o Instituto Nacional de Emergência Médica, a Cruz Vermelha e a DGS.

Eduardo Cabrita disse que a fase actual não é de declaração de estado de alerta, mas que é uma fase em que a prioridade é a contenção do fenómeno e a actualização dos planos de contingência. O ministro admitiu como provável que sejam confirmados mais casos de Covid-19, garantindo que as autoridades estão preparadas e que há uma “grande confiança” na mensagem da DGS. E nesta fase de contingência o sector a dar mais atenção é o de “relacionamento externo”, nas áreas de transportes aéreo e marítimo e no acompanhamento de estrangeiros, disse.

Eduardo Cabrita deixou também um apelo para a tranquilidade, explicou que todas as entidades públicas têm planos de contingência e disse que na reunião foi pedido a todos os sectores que elencassem as situações que devem ser monitorizadas, sector a sector. “Estão a ser tomadas as medidas adequadas em função da avaliação que em cada momento é feita”, declarou o ministro.

De acordo com os últimos dados divulgados pela DGS, há em Portugal quatro casos de Covid-19 confirmados, todos homens e sendo dois reportados no Porto, um em Coimbra e outro em Lisboa.

Sugerir correcção