Atentado em Hanau é sinal que terrorismo de extrema-direita está a subir na Alemanha

O suspeito dos ataques, de 43 anos, defendeu o “extermínio” das minorias na Alemanha e a destruição de países com maioria muçulmana. Matou dez pessoas e feriu quatro. Foi o mais mortífero atentado de extrema-direita no país desde 1980.

Foto
A violência de extrema-direita tem subido a par e passo com o aumento do discurso de ódio na Alemanha RALPH ORLOWSKI/Reuters

O atentado terrorista de extrema-direita de quarta-feira à noite em dois bares de shisha em Hanau, no lado ocidental da Alemanha, foi o mais mortífero desde os anos 1980 e confirmou o que já se sabia: o terrorismo de extrema-direita está a crescer no país. Dez pessoas foram mortas e quatro ficaram feridas por um homem que defendia o “extermínio” das minorias. 

Sugerir correcção
Ler 30 comentários