Hospital de Beja: homem morre depois de esperar mais de três horas nas urgências

Sofria de diabetes e hepatite C e foi-he atribuída a pulseira amarela – devia ter sido observado numa hora.

Foto
Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo disse que já mandou instaurar inquérito. ADRIANO MIRANDA

Um homem de 60 anos morreu na sala de espera das urgências do Hospital José Joaquim Fernandes, em Beja, depois de ter esperado mais de três horas para ser observado.

De acordo com o Correio da Manhã, o episódio teve lugar no dia 31 de Janeiro, quando o doente, que sofria de diabetes e hepatite C, se dirigiu ao hospital porque se sentia mal.

Na triagem, foi-lhe atribuída a pulseira amarela (atribuída a casos urgentes), mas o homem esteve à espera desde as 17h30 até às 21h, hora a que acabou por morrer.

O tempo de espera normal para uma primeira observação e com uma pulseira amarela deve ser uma hora.

Os familiares da vítima apresentaram uma reclamação escrita à administração do hospital.

Por sua vez o Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo adiantou ao Correio da Manhã que já foi instaurado um processo de inquérito.

Este é o segundo caso conhecido de uma morte nas urgências de um hospital depois de horas de espera no mês de Fevereiro. Um homem de 65 anos morreu na segunda-feira, dia 10 de Fevereiro, depois de ter sido triado com pulseira amarela (caso considerado urgente) e de ter aguardado seis horas no serviço de urgência do Hospital de Lamego.