Fotografia

Senior Love Triangle: uma história de amor a três, na terceira idade

Will, Jeanie e Adina viveram um triângulo amoroso. O fotolivro Senior Love Triangle, de Isadora Kosofsky, mostra como foi.

Jeanie e Will beijam-se numa rua, em Los Angeles ©Isadora Kosofsky
Fotogaleria
Jeanie e Will beijam-se numa rua, em Los Angeles ©Isadora Kosofsky

Will e Jeanie despedem-se com um beijo nos lábios, diante do lar onde ela reside, na cidade de Los Angeles. Jeanie segue depois para dentro. Will vê-a entrar, dá a mão a Adina e juntos continuam o seu caminho. No regresso, dentro do autocarro, a fotógrafa Isadora Kosofsky pergunta ao octogenário: "Então, a Jeanie é a sua namorada e a Adina é a sua melhor amiga?" A resposta de Will foi uma risada, apenas. Na verdade, Will mantinha com Jeanie e Adina um triângulo amoroso — consentido, de certa forma, mas ressentido pelos três.

A história é longa e remonta a mais de dez anos. Quando estava na casa dos 70, William, um veterano da Segunda Guerra Mundial, apaixonou-se por Adina, uma mulher mais velha, de origem suíça que escapou ao Holocausto e que foi, durante a vida, linguista e intérprete de cinco línguas. Deram início a um relacionamento amoroso e decidiram viver juntos. A relação manteve-se durante anos, resistindo mesmo à mudança de Will para um lar sénior. "No primeiro dia, no novo lar, William apaixonou-se por Jeanie", explica Kosofsky no interior do seu fotolivro Senior Love Triangle. "Ela era uma mulher muito calorosa, extrovertida, actriz e mãe de quatro, e William sentiu uma atracção imediata." Ele não quis escolher entre as duas mulheres.

"Quando o Will apresentou Adina a Jeanie, elas não aceitaram imediatamente a nova dinâmica", explica Kosofsky. "A Jeanie, em particular, não estava interessada no triângulo, pois pensava que tinha encontrado o homem por quem sempre esperou, a sua última oportunidade no amor." A relação entre os três revelou-se difícil, conturbada. Os ciúmes, a ira de Will, a preocupação e bloqueio das famílias delas tornaram a manutenção da relação quase impossível. Mas dela provinha algo que faltava aos três. "A sua aliança era um escudo contra a solidão", descreve Kosofsky. "Eles encontraram um sentido de casa e de comunidade uns nos outros. Mas a excitação que sentiam por ir contra as normas também revelava tristeza. Eu senti a dor que estava abaixo da superfície do seu romantismo. E quanto mais o trio tentava escapar-lhe, mais a verdade do que tentavam evitar os engolia."

Will era um homem instável, ciumento. Kosofsky recorda o episódio em que Will esmurrou outro idoso, no lar, por conversar com Jeanie. Nesse dia, foi expulso da residência. E esse foi o início de uma série de peripécias que viria a condenar a relação. "Eu tive uma vida rotineira", explicou Jeanie, de 74 anos, à fotógrafa. "Não quero viver assim o resto da minha vida. Quero ser livre. (...) Eu não quero vestir o traje da maturidade." Quando os técnicos do lar deixaram de permitir as visitas de Will, Jeanie perguntou: "É da vossa conta quem eu meto na minha cama?" Adina, mais comedida, dizia que "existem muitos tipos de amor". Temia, acima de tudo, perder o companheiro de tantos anos e ia permitindo a manutenção do triângulo. 

A relação acabaria por terminar. Internamentos hospitalares, o regresso a casa de familiares e, por fim, a morte ditaram o fim. A abertura os três ao trabalho de Kosofsky permitiu que hoje, a partir dele, se coloquem questões relevantes relacionadas com a vivência sénior que são, por vezes, evitadas em sociedade. O que é o amor na terceira idade? Quais são as necessidades que mantemos, enquanto seres humanos, perto do final das nossas vidas? É permitido a um idoso expressar-se romântica e sexualmente?

"A ligação que se formou entre Jeanie, Will e Adina revela que existem necessidades, ansiedades e contradições que são intemporais", refere o comunicado enviado ao P3 pela alemã Kehrer Verlag. E é por esse motivo que o fotolivro Senior Love Triangle, que foi tema central de uma palestra do TED Xé visto pela editora como "um trabalho visual revolucionário que toca as questões do envelhecimento, da intimidade, que questiona a natureza universal do amor e da monogamia".

O trabalho de Kosofsky recebeu atenção por parte de meios de comunicação de todo o mundo, entre eles New York TimesTIMENew Yorker, Stern, Le Monde, The Guardian, Slate. No P3, a fotógrafa publicou Love The One You Are With, em 2016, sobre deficiência e sexualidade, e I Want To Go Home, no ano anterior, sobre Vinny, um adolescente de 13 que cumpria pena no Centro de Detenção Juvenil de Albuquerque, nos Estados Unidos. 

Adina e Will sentados num autocarro, em Los Angeles
Adina e Will sentados num autocarro, em Los Angeles ©Isadora Kosofsky
Will, Jeanie e Adina partilham um refrigerante num mini-centro comercial em Los Angeles
Will, Jeanie e Adina partilham um refrigerante num mini-centro comercial em Los Angeles ©Isadora Kosofsky
Jeanie abraça Will, numa paragem de autocarro, enquanto Adina espera em conjunto, em Hollywood
Jeanie abraça Will, numa paragem de autocarro, enquanto Adina espera em conjunto, em Hollywood ©Isadora Kosofsky
No interior do seu apartamento, num lar de terceira idade, Jeanie prepara-se para encontrar Will e Adina
No interior do seu apartamento, num lar de terceira idade, Jeanie prepara-se para encontrar Will e Adina ©Isadora Kosofsky
Adina, segurando uma pena de pássaro que encontrou, senta-se junto a Jeanie numa loja de donuts
Adina, segurando uma pena de pássaro que encontrou, senta-se junto a Jeanie numa loja de donuts ©Isadora Kosofsky
O punho de Will no chão do seu apartamento
O punho de Will no chão do seu apartamento ©Isadora Kosofsky
Jeanie apoia a cabeça em Will, na cama dele
Jeanie apoia a cabeça em Will, na cama dele ©Isadora Kosofsky
Jeanie senta-se num local afastado de Adina e Will, na loja de gelados
Jeanie senta-se num local afastado de Adina e Will, na loja de gelados ©Isadora Kosofsky
Will à janela do seu apartamento, olhando Jeanie, que está no passeio junto à casa
Will à janela do seu apartamento, olhando Jeanie, que está no passeio junto à casa ©Isadora Kosofsky
Sugerir correcção