Óscares históricos: a vitória arrebatadora de Parasitas fez uns #OscarsSoRight

A história dos 92.ºs Óscares começou com Era Uma Vez... em Hollywood e até teve uma reviravolta final. Em 92 anos, este é o primeiro Óscar de Melhor Filme para um filme que não é falado em inglês, e é apenas a segunda vez que concorda com a Palma de Cannes. Joaquin Phoenix, Brad Pitt, Laura Dern e Renée Zellweger premiados.

Bong Joon-ho
Fotogaleria
Bong Joon-ho, o grande vencedor da noite ERIC GAILLARD/Reuters
,Oscar de Melhor Filme
Fotogaleria
Joaquin Phoenix Reuters/MARIO ANZUONI
,Ator
Fotogaleria
Laura Dern recebeu o primeiro Óscar MARIO ANZUONI/Reuters
Fotogaleria
Brad Pitt com o seu novo Óscar Eric Gaillard/Reuters
Fotogaleria
Renée Zellweger DAVID SWANSON/EPA
Fotogaleria
Steven Bognar e Julia Reichert, American Factory LUCAS JACKSON/Reuters

E de repente, a história mudou e 2020 foi o ano #OscarsSoRight? O primeiro premiado da noite, o actor secundário Brad Pitt, bem dizia que se pode ter uma carreira de conto de fadas e viver um Era Uma Vez... em Hollywood. Mas foi Parasitas, de Bong Joon-ho, que acabou os 92.ºs Óscares como vencedor surpresa e, simultaneamente, vencedor justo aos olhos da crítica, de muita da indústria e do cantinho americano que dá os prémios mais mediáticos do ano. É a primeira vez que um filme que não é falado em inglês é o Melhor Filme, e apenas a segunda vez na história que o receptor da Palma de Ouro de Cannes sai também de Los Angeles com o Óscar mais cobiçado.