Petição pretende criar o Dia Nacional do Ferroviário

Homenagear todos quanto trabalham ou trabalharam nos caminhos-de-ferro portugueses é o objectivo da petição que tem como primeiros subscritores António Barreto, Carlos Vasconcelos (presidente da Medway) e Nuno Freitas (presidente da CP).

Trem
Foto
paulo pimenta

Foi lançada esta quinta-feira uma petição que pede ao Parlamento Português a criação do Dia Nacional do Ferroviário, a ser comemorado no dia 28 de Outubro, data em que foi inaugurada em 1856 a primeira linha férrea portuguesa, entre Lisboa e o Carregado.

O documento diz que “actualmente o transporte ferroviário vem ganhando peso na economia e na sociedade” e que Portugal é o país da Europa onde o contributo do comboio para o transporte de mercadorias mais subiu na última década, tendo registado igualmente uma tendência crescente no tráfego de passageiros.

“Mas o que verdadeiramente importa comemorar são os trabalhadores da ferrovia” pois “são os ferroviários que fazem circular o comboios”. A petição refere que estes trabalhadores constituem uma comunidade muito unida e coesa, com uma cultura própria e característica que vem sendo transmitida de geração em geração”. 

Carlos Vasconcelos, presidente da Medway e mentor desta iniciativa, diz que é um recém-chegado à ferrovia e que, por esse motivo, dedicou-se a ler e a estudar sobre este sector, tendo ficado surpreendido com o impacto que o caminho-de-ferro teve em Portugal. “O comboio foi um factor estruturante do país nos finais do séc. XIX graças às ligações que estabeleceu no transporte de pessoas e mercadorias. O país pela primeira vez esteve unificado. E quem fez isso - os ferroviários - não está hoje devidamente reconhecido”, disse.

Após a privatização da CP Carga e a criação da Medway, a empresa publicou um livro com os testemunhos das memórias e vivências de 75 ferroviários, que lançou durante as comemorações dos 161 anos de caminho-de-ferro Portugal.

O gestor acredita que a ferrovia vai ter um futuro melhor do que o presente, sobretudo tendo em conta a sua importância no combate às alterações climáticas. E nesse futuro, diz, por muito que a tecnologia evolua, os ferroviários continuarão a ser fundamentais e determinantes.

O sociólogo António Barreto, que tem tomado várias posições públicas contra o encerramento de linhas férreas, é o primeiro subscritor da petição, seguindo-se o próprio Carlos Vasconcelos e o presidente da CP, Nuno Freitas.

O objectivo é que a Assembleia da República permita que o dia do ferroviário possa ser assinalado já em 28 de Outubro de 2020.

O Dia Nacional do Ferroviário comemora-se na Argentina (1 de Março), em Cuba (29 de Janeiro), no Brasil (30 de Abril) e no México (7 de Novembro). Nos Estados Unidos há um Dia Nacional do Caminho-de-Ferro (10 de Maio).

Sugerir correcção