Espanha estreia comboio low cost de alta velocidade com bilhetes desde 10 euros

Depois de promoção de lançamento com viagens a 5 euros, o Avlo, o comboio-pato, abre a 6 de Fevereiro a bilheteira online com tarifário normal.

,Avlo
Fotogaleria
O Avlo entra ao serviço em Abril Renfe
,Trilho de alta velocidade
Fotogaleria
O comboio terá só uma classe Renfe
,Linha ferroviária de alta velocidade Madrid-Barcelona
Fotogaleria
A primeira unidade do Avlo está a ser ultimada nas oficinas de Valladolid Renfe
Fotogaleria
A apresentação do primeiro Avlo Renfe
Fotogaleria
A Renfe propõe bilhetes entre 10 e 60 euros, conforme antecipação da compra, promoções e horários Renfe
,AVE
Fotogaleria
Em média, o bilhete para o AVE espanhol custa quatro vezes mais Renfe

Av de Ave (alta velocidade), lo de low cost. O Avlo, que vem anunciado com o slogan “alta velocidade para todos”, promete, para já, viagem directa entre Madrid e Barcelona (mais de 600km) em 2h30 e por preços muito abaixo do normal TGV espanhol: seguindo a filosofia low cost, começará em 10 euros por trajecto, cobrará serviços adicionais, e depois é sempre a subir até, pelo menos, 60 euros. Praticamente um quarto dos preços médios do tradicional e muito concorrido AVE. 

Com a abertura da bilheteira online normal marcada para 6 de Fevereiro (às 14h de Lisboa), a estreia do Avlo será a 6 de Abril, segundo a espanhola Renfe, com três viagens diárias entre Madrid e Barcelona (duas com paragem em Saragoça). A partir de 4 de Maio haverá mais uma ligação directa e diária no calendário.

Em jeito de promoção de lançamento, a empresa vendeu milhares de bilhetes a 5 euros. No início da campanha, entraram de repente mais de milhão e meio de pessoas no site, informou a Renfe – por supuesto, o site “colapsou”, como noticia o El País, originando muitas reclamações (a empresa acabaria por lançaram alguns milhares extra de bilhetes para “compensar"). 

A primeira unidade do Avlo, adianta o La Vanguardia, está a ser ultimada nas oficinas de Valladolid, devendo em breve entrar em provas nas vias ferroviárias. Tratam-se de composições Talgo (o mesmo tipo de comboio que serve Lisboa-Madrid) transformadas para este serviço: passaram a ter uma capacidade para 438 passageiros por comboio, mais 20% em relação a composições similares. São da série 112, capaz de circular a 330km/h – o característico design do comboio valeu-lhe o baptismo de “pato”. Mas já se preparam mais comboios e com maior capacidade: o jornal espanhol adianta que mais tarde deverão entrar ao serviço novos comboios, que já terão capacidade para 581 passageiros

O Avlo tem só uma classe. A exemplo de companhias aéreas, o bilhete básico low cost inclui apenas uma mala de cabina + mala de mão ou mochila. Depois, o cliente terá de pagar os “serviços adicionais” (seleccionar o lugar, alterações à viagem, malas extra, comidas e bebidas, etc.); o wifi é grátis. 

As crianças até 14 anos acompanhadas por um adulto pagam 5 euros (até duas crianças por trajecto). Para famílias grandes há descontos de 20 a 50%.

Para garantir passagem descansada pelos controlos de segurança, a Renfe aconselha chegar 30 minutos antes à estação – os acessos fecham cinco minutos antes da saída do comboio.

A venda dos bilhetes é apenas online e o comprador deve estar registado no site (se pretender tentar a sorte na promo 5€, para o caso de ser lançada mais alguma, é melhor registar-se antes). Várias questões sobre o serviço e os preços dos serviços adicionais podem ser consultados aqui.

O avanço do novo projecto da Renfe, “o primeiro passo” da empresa nos “chamados serviços low cost de alta velocidade”, é explicado pela companhia também com uma mudança do paradigma ferroviário em Espanha: “este tipo de serviços são estratégicos para a companhia no contexto da liberalização do transporte de passageiros por ferrovias, que entrará em vigor em Dezembro de 2020”. 

É que, para essa altura, já está prevista concorrência baixo custo na alta velocidade ferroviária, com a chegada da francesa SNCF com o serviço Ouigo, como assinala o jornal El Periódico. Pior será em 2022: chega o consórico Ilsa-Trenitalia, controlado pela companhia ferroviária italiana, que promete 23 comboios em cinco rotas.

Sugerir correcção