Torne-se perito

Coronavírus: Finlândia confirma primeiro caso. Companhias suspendem voos para a China

Há 840 novos casos diagnosticados, num total de mais de 5300 casos de infectados na China.

Pessoas a comprar máscaras em Hong Kong
Foto
Pessoas a comprar máscaras em Hong Kong Reuters/TYRONE SIU

A Finlândia confirmou esta quarta-feira o primeiro caso de contágio pelo novo coronavírus no país. Trata-se de uma pessoa chinesa que viajou recentemente de Wuhan, na China, para a Finlândia, revelou o Instituto Finlandês para a Saúde e Bem-Estar.

O paciente encontra-se em isolamento num hospital na Lapónia, no norte da Finlândia. As autoridades finlandesas revelaram ainda, citadas pela Reuters, que outras 15 pessoas podem ter sido expostas ao vírus.

O novo coronavírus provocou a morte a mais 25 pessoas na província de Hubei, na China, aumentando já para 132 o número de mortos no país devido ao surto que começou na cidade de Wuhan, informaram as autoridades locais nesta quarta-feira. ​ A mesma fonte, citada pela AFP, adiantou que há 840 novos casos diagnosticados nesta província, aumentando para mais de 5300 o número total de infectados em todo o país.

As autoridades de saúde alemãs confirmaram mais três casos de contágio pelo novo coronavírus (2019-nCoV) detectado na China, aumentando para quatro o número de contagiados naquele país. A Finlândia é o terceiro país na Europa afectado pelo surto, depois de terem sido anunciados casos de contágio na Alemanha e França.

Lufthansa, American Airlines e British Airways suspendem voos

Esta quarta-feira, companhias aéreas de todo o mundo como a Lufthansa, a American Airlines e a British Airways suspenderam total ou parcialmente voos para a China continental devido ao surto do novo coronavírus.

A alemã Lufthansa revelou, num comunicado citado pela Reuters, que irá suspender os seus voos e das companhias Swiss International Airlines e Austrian Airlines, pertencentes ao mesmo grupo, de e para a China até 9 de Fevereiro. As companhias aéreas continuarão a voar para Hong Kong, mas as reservas de voos para a China continental deverão permanecer suspensas até ao final do próximo mês.

American Airlines vai, por sua vez, suspender os voos de Los Angeles com destino a Pequim e Xangai entre 9 de Fevereiro e 27 de Março, justificando a decisão com uma menor procura destes serviços devido à pandemia.

A transportadora britânica British Airways revelou também esta quarta-feira, segundo a Reuters, a suspensão de todos os voos directos de e para a China continental, algum tempo depois de o Reino Unido ter desaconselhado qualquer viagem não essencial ao país (tal como Portugal fez). No site da companhia aérea não surgem voos directos para a China entre Janeiro e Fevereiro. “Pedimos desculpa aos nossos clientes pela inconveniência, mas a segurança dos nossos passageiros e tripulantes é a nossa prioridade”, disse a British Airways em comunicado.

Outras transportadoras aéreas como a Air Tanzania, Finnair, United, Air Canada, Cathay Pacific Airways, Lion Air, Air Seoul e Air India anunciaram também a suspensão de alguns voos para a China.

O que é este novo coronavírus?

A doença foi identificada como um novo tipo de coronavírus, semelhante à pneumonia atípica, ou Síndrome Respiratória Aguda Grave, que entre 2002 e 2003 matou 650 pessoas na China continental e em Hong Kong.

Os sintomas associados à infecção são mais intensos do que uma gripe e incluem febre, dor, mal-estar geral e dificuldades respiratórias, como falta de ar.

Além do território continental da China, de França e Alemanha, também foram reportados casos de infecção em Macau, Hong Kong, Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Estados Unidos, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, Austrália e Canadá.

As autoridades chinesas admitiram que a capacidade de propagação do vírus se reforçou.

As pessoas infectadas podem transmitir a doença durante o período de incubação, que demora entre um dia e duas semanas, sem que o vírus seja detectado.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou que vai enviar peritos internacionais para a China o mais rapidamente possível para trabalhar com especialistas chineses no estudo e contenção do vírus.

Vários países, incluindo Portugal, já começaram o repatriamento de cidadãos de Wuhan, cidade que foi colocada sob quarentena, na semana passada, com saídas e entradas interditadas pelas autoridades durante um período indefinido.

Um avião fretado pelo Governo japonês transportando 216 pessoas retiradas da cidade já chegou a Tóquio.

Entretanto, um avião com pessoal diplomático dos Estados Unidos e outros cidadãos norte-americanos também saiu de Wuhan, sendo esperado que chegue ao aeroporto internacional de Ontário, na Califórnia, nesta quarta-feira.

Já o Canadá está a estudar todas as opções para repatriar os 126 canadianos que vivem na região e a União Europeia vai enviar dois aviões entre quarta e sexta-feira e que deverão repatriar 250 franceses e outros 100 cidadãos europeus.

A ministra da Saúde portuguesa, Marta Temido, assegurou que os hospitais de Portugal estão preparados para lidar com uma eventual epidemia e que a situação está a ser tratada de forma “tranquila, mas rigorosa”.

Sugerir correcção