Kobe Bryant, o fim trágico de uma estrela

Um acidente de helicóptero tirou a vida a uma das lendas do basquetebol mundial. Retirado desde 2016, o norte-americano, que jogou toda a sua carreira nos LA Lakers, marcou uma era para a modalidade.

,Basquetebol
Fotogaleria
Kobe Bryant LUSA/ANDREW GOMBERT
,Basquetebol
Fotogaleria
Kobe Bryant LUSA/MICHAEL NELSON
Kobe Bryant
Fotogaleria
Kobe Bryant LUSA/LARRY W. SMITH
,Basquetebol
Fotogaleria
Kobe Bryant LUSA/LARRY W. SMITH
Kobe Bryant
Fotogaleria
Kobe Bryant Reuters/Robert Hanashiro

Um dia depois de LeBron James ter tirado Kobe Bryant do pódio dos melhores marcadores de sempre da Liga Norte-americana de Basquetebol profissional (NBA), atingindo a marca de 33.655 pontos marcados, contra os 33.644 de “Black Mamba”, um acidente de helicóptero tirou, neste domingo, a vida a um dos melhores jogadores de sempre de basquetebol.

“Continua a levar o jogo para a frente King James. Muito respeito irmão #33644”, foi a mensagem que Bryant escreveu na rede social Twitter, horas antes do fatídico acidente. Uma frase que revela bem a grandeza deste desportista e que explica por que razão era um dos mais respeitados desportistas de todos os tempos e mais venerados jogadores de basquetebol de sempre e em todo o mundo.

Actualmente com 41 anos, Kobe Bryant tinha-se retirado da competição em 2016, pondo um ponto final numa carreira longa, de 20 anos, repleta de sucessos e ao longo da qual foi eleito por 18 vezes para a melhor equipa da NBA. Foi ainda campeão por cinco ocasiões (2000, 2001 e 2002, 2009 e 2010) e vice-campeão por outras duas com a camisola dos LA Lakers, a sua equipa de sempre e que, em sua honra, decidiu que mais nenhum jogador vestiria as camisolas com os números 8 e 24 — os dois que foram seus na equipa de Los Angeles. Pelo meio, foi campeão olímpico ao serviço dos Estados Unidos por duas vezes, em 2008 e 2012.

De acordo com as informações que chegaram dos Estados Unidos, Kobe Bryant viajava com pelo menos mais quatro pessoas no seu helicóptero particular quando este se despenhou. O embate com o solo terá provocado um incêndio. Os serviços de emergência médica foram chamados ao local, mas não encontraram sobreviventes, sendo uma das vítimas um dos seus quatro filhos: a filha de 13 anos, Gianna Maria Onore.

O helicóptero ter-se-á despenhado por volta das 10h deste domingo, numa zona com colinas perto da cidade de Calabasas, em Los Angeles e, segundo os relatos da imprensa, as condições meteorológicas não eram as melhores, dado que estaria bastante nevoeiro na altura do acidente.

Uma despedida memorável

Kobe Bryant fez em Abril de 2016 o seu último jogo na NBA, pondo fim a uma carreira de 20 anos. E terminou com uma exibição memorável — marcou 60 pontos na vitória dos Los Angeles Lakers sobre os Utah Jazz (101-96), conseguindo a melhor performance dessa temporada. Foi uma despedida com estilo no 1566.º encontro da sua carreira.

Afectado por problemas físicos, Kobe viu a parte final da sua carreira ser marcada por lesões graves: rotura do tendão de Aquiles em 2013, fractura do joelho esquerdo em 2014 e rotura do ombro direito em 2015. Mas todos estes problemas físicos apenas tornam mais impressionante a carreira deste filho de um antigo jogador da NBA, Joe Bryan, e que chegou à NBA aos 17 anos, tornando-se o jogador mais jovem da história a assegurar um lugar na liga profissional norte-americana, corria o ano de 1996.

Para além dos problemas físicos, ao longo da sua longa carreira, Kobe Bryant viveu ainda uma polémica que ensombrou a sua aura. Em 2003 foi preso, acusado de ter violado uma adolescente num hotel do Colorado. Bryant negou as acusações, alegando que o encontro tinha sido consensual. A acusação acabaria por ser arquivada depois de a alegada vítima se ter recusado a testemunhar em tribunal.

Ultrapassado esse momento negro da sua vida, Kobe Bryant recuperou o respeito que tinha granjeado nos pavilhões norte-americanos e tornou-se numa referência global. 

Há dois anos Kobe Bryant ganhou um Óscar com o documentário “Dear Basketball”, realizado com base num poema que ele escreveu sobre a sua retirada da competição. Uma retirada tranquila e orgulhosa, nas suas próprias palavras: “Dei-me conta que alcancei tudo aquilo que tinha sonhado. Não era assim tão importante ser o melhor da história, mas sim a direcção em que seguia a minha carreira e a influência que ela podia ter na geração seguinte.” Já o fim da sua vida, foi uma tragédia inesperada e prematura.

Sugerir correcção