Comboios voltam a circular entre Coimbra e Figueira da Foz na segunda-feira

Desde 26 de Dezembro que a CP tem assegurado transportes alternativos com ligações directas em autocarro entre Coimbra e Figueira da Foz.

Foto
BLR bruno lisita

A Infra-estruturas de Portugal prevê ter concluídos neste domingo os trabalhos de reparação da ponte do Marujal (Montemor-o-Velho), que ficou danificada na sequência das inundações do passado dia 21 de Dezembro, impedindo a circulação de comboios entre Coimbra e Figueira da Foz e a linha do Oeste. A partir de segunda-feira, a circulação será retomada.

A inundação destruiu parte do aterro onde assentava a linha férrea e desguarneceu um dos pilares da ponte, tendo sido necessários 20 dias para reabrir a linha. Fonte oficial da Infra-estruturas de Portugal disse ao PÚBLICO que “os trabalhos de reparação tiveram início assim que o nível das águas o permitiu e logo que reunidas as condições mínimas de segurança para o seu desenvolvimento”, acrescentando que os terrenos confinantes com a via férrea nesta zona estão ainda inundados, uma vez que o dique do rio Arunca não foi reparado.

Questionada sobre o motivo pelo qual os trabalhos não decorreram durante 24 horas por dia para concluir a obra o mais rápido possível (como era prática na tradição ferroviária quando se trata de reabrir linhas que forma interrompidas), a Infra-estruturas de Portugal respondeu que estes se realizaram “no período e com os meios adequados à urgência da intervenção, à segurança das equipas, à boa qualidade do serviço e à necessária consolidação do aterro da plataforma que está a ser reconstruída”.

A empresa estima que os encargos desta obra devam rondar os 300 mil euros.

Desde o dia 26 de Dezembro que a CP tem assegurado transportes alternativos com ligações directas em autocarro entre Coimbra e Figueira da Foz a par de um serviço ferroviário entre Figueira da Foz e Verride. Para o Oeste, a solução passou também por recorrer a um serviço rodoviários com autocarros entre Caldas da Rainha e Coimbra, servindo também S. Martinho do Porto, Valado dos Frades, Marinha Grande e Leiria.