Morte de Soleimani: “Catastrófico para todos”

O Irão jura vingança, Trump quer mostrar que é “imprevisível”. Os próximos dias trazem o risco de uma escalada em que os actores se arriscam a perder o controlo da situação.

,Teerã
Fotogaleria
ABEDIN TAHERKENAREH/EPA
Qasem Soleimani
Fotogaleria
O ayatollah Ali Khamenei com o filho de Soleimani EPA
Qasem Soleimani
Fotogaleria
Luto no Irão pela morte do general WANA NEWS AGENCY/Reuters

O general iraniano Qassem Soleimani, comandante da Força al-Quds, foi morto por um drone americano na madrugada de sexta-feira, quando saía do aeroporto de Bagdad, onde chegara vindo da Síria ou do Líbano. Não era “mais um general”, mas o estratega que redesenhou o mapa geopolítico do Médio Oriente em proveito do Irão. Era a figura mais importante do regime iraniano a seguir ao ayatollah Ali Khamenei. Teme-se o risco de um ciclo de acção-retaliação no Médio Oriente, numa escalada em que os actores se arriscam a perder o controlo da situação.