Número de mortes por violência doméstica sobe para 35 só este ano

São já 35 as mulheres, homens e crianças assassinadas em Portugal no contexto de violência doméstica só em 2019.

Foto
Em 2018 morreram 28 mulheres em contexto de violência doméstica Miguel Feraso Cabral

São já 35 as pessoas mortas em contexto de violência doméstica durante o ano de 2019 em Portugal. A juntar aos mais recentes dados divulgados em Novembro pelo Governo — que se comprometeu a fazê-lo trimestralmente — somam-se mais duas vítimas mortais, duas mulheres assassinadas alegadamente pelos companheiros, uma em Cascais, outra em Leiria. Passam assim a existir 27 mulheres adultas mortas, uma criança e sete homens.

Sábado à noite, em Cascais, relatou à Lusa fonte do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, um homem de 43 anos desferiu “pelo menos duas facadas na zona do tórax” da companheira. A mulher ainda foi assistida pelo Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), mas “acabou por falecer no local”.

O homem abandonou o local do crime e esteve em fuga durante algumas horas, mas foi localizado e detido na madrugada deste domingo, por volta das 2h. Esta informação foi confirmada ao PÚBLICO pelo Comando Metropolitano de Lisboa da PSP. 

Na sexta-feira, uma mulher foi morta em Leiria, também pelo companheiro. O suspeito foi detido pelas autoridades depois de um despiste durante a fuga. Foi presente no sábado ao juiz de instrução do Tribunal Judicial de Leiria que decretou prisão preventiva, disse à Lusa fonte judicial.

Segundo a mesma fonte o homem, de 35 anos, degolou a mulher de 34 anos com um x-acto e pôs-se em fuga. Em casa estavam os filhos da vítima, de dois e seis anos, fruto de relações anteriores, que estão agora sob a responsabilidade da Comissão da Protecção de Crianças e Jovens.

A mesma fonte policial revelou à Lusa que a PSP tinha sido alertada para discussões entre o casal, “mas nada previa este desfecho” nem haveria suspeita de violência doméstica. O arguido não tinha antecedentes criminais. Depois de matar a mulher, que perdeu a vida no local apesar das manobras de reanimação, o suspeito pôs-se em fuga, vindo a ser detido pela GNR, após se despistar no Itinerário Complementar 2 (IC2), em Pombal. Não apresentava ferimentos nem ofereceu resistência no momento da detenção.

Até 12 de Novembro, as estatísticas realizadas pelo Observatório de Mulheres Assassinadas (OMA), da União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR), apontavam para a morte de 28 mulheres e 27  tentativas de femicídio em 2019. Com as duas mais recentes mortes, a contagem de mulheres assassinadas em contexto de violência doméstica sobe para 30, número que ultrapassa as 28 mortes registadas em 2018 por esta organização.

De acordo com a mesma organização, nos últimos 15 anos, houve 531 vítimas e 618 vítimas de tentativa de homicídio em contexto de violência doméstica.

Sugerir correcção