A tradição do madeiro de Penamacor regressa com mais tasquinhas e actividades

A autarquia de Penamacor volta a promover este mês o evento “Vila Madeiro”, que contará com mais tasquinhas, atividades culturais e animação, além das tradições em torno daquele que é considerado o maior madeiro de Natal do país.

Foto
DR/CMPenamacor

“Este ano reforçámos a aposta cultural do evento e vamos instalar uma tenda no pátio do antigo quartel para aí realizarmos as actividades. O mercado de Natal também passa para esse espaço, de modo a garantir maior conforto a todos os participantes”, disse, à agência Lusa, o presidente desta autarquia do distrito de Castelo Branco, António Luís Beites.

A iniciativa decorre nos fins-de-semana, entre os dias 7 e 25 de Dezembro, e cruza animação, música, gastronomia local e actividades culturais e desportivas com as tradições natalícias ligadas ao madeiro, que ganhou projecção pela enorme dimensão que tem.

António Luís Beites destaca ainda o “ambiente único” que os visitantes podem encontrar na vila e que é conseguido pelo “bem receber” dos residentes, bem como pela iluminação de Natal, pelos espaços decorados a rigor e pelas várias tasquinhas, onde os produtos locais e o saber gastronómico popular imperam.

A crescer de ano para ano, o “Penamacor Vila Madeiro” é sempre muito concorrido e é também uma ocasião em que muitos “filhos da terra” regressam para visitar os familiares e para participarem nas actividades.

Além disso, também tem contribuído para a promoção do concelho e para a atracção de muitos visitantes, sendo que este ano a autarquia fará uma forte aposta de divulgação no lado espanhol. “Esta é uma marca que projecta o bom nome e a imagem do nosso concelho pelo país e pelo mundo fora e, este ano, termos uma forte aposta de marketing do lado espanhol, porque o número de visitantes espanhóis no evento também tem crescido e queremos reforçar essa dinâmica”, especificou António Luís Beites.

Entre as mais-valias, o autarca sublinha ainda a ajuda que o evento representa para o comércio e economia local. “Eu diria que o investimento da câmara é muito inferior ao retorno económico que fica no concelho”, aponta.

Com um orçamento global de 100 mil euros, a edição deste ano arranca no próximo sábado, dia em que os jovens que este ano fazem 20 anos, familiares e amigos e habitantes se reúnem num convívio, que marca o fim dos trabalhos de corte e recolha dos enormes troncos.

No dia seguinte decorre, ao início da tarde, o “desfile do Madeiro”, com a chegada ao centro da vila das dezenas de tractores carregados e com a colocação do madeiro junto à igreja matriz. O madeiro acende-se no dia 23 à meia-noite e a tradição diz que ficará a arder até dia 6 de Janeiro.

Do programa constam ainda outras actividades, como plantação de árvores na Mata Municipal, cantares de Natal, visitas guiadas e encenadas, presépios vivos, um encontro de idosos, uma corrida nocturna e até a actuação da artista Rebeca, no dia 14.

Este evento também será promovido pela Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa no âmbito do programa “Beira Baixa, Três Dias, Três Experiências”.