Dança moderna

Vera Mantero festeja os 20 anos do dia a que receava chegar

Sexta e sábado são dias para Vera Mantero festejar, na Culturgest, em Lisboa, os 20 anos de O Rumo do Fumo, a produtora que criou para apoiar a sua criação artística. A festa acontece em palco, com a reposiçao de O Limpo e o Sujo.

Vera Mantero temeu durante muito tempo a chegada do dia em que fundou O Rumo do Fumo. Em 1999, já com 13 anos de carreira coreográfica, tornou-se evidente para si que não podia mais adiar a criação da sua própria estrutura de produção. “Quando comecei, fui primeiro produzida por mim e pelos meus namorados, porque funcionava tudo em casa”, lembra ao PÚBLICO. “Depois passei pelo Fórum Dança durante uns aninhos, mas depois o Fórum queria, obviamente, alternar os artistas apoiados e coube a vez a outros.” Por isso, em seguida pediu a Francisco Camacho, que já então tinha a sua estrutura, a Eira, para fazer daquela casa a sua equipa de produção. “Até que tanto o Camacho como eu e outras pessoas da Eira começámos a ter muito volume de trabalho e já não dava para estarmos todos apertados” no mesmo sítio. E chegou esse momento que quis adiar o mais possível, consciente de que seria difícil não se ver sugada pelas exigências da produção, e receosa das implicações que tal passo teria na sua vida criativa.