Audição de testemunhas suspensa até Janeiro na instrução do processo da legionella

Juíza explica que decorrem negociações entre os advogados das duas empresas acusadas e as 73 vítimas identificadas na acusação tendo em vista eventuais acordos extrajudiciais e que estão ainda em apreciação recursos de algumas vítimas no Tribunal da Relação de Lisboa.

Foto
MIGUEL MANSO

A juíza do Tribunal de Loures titular da instrução do processo-crime relativo ao surto de Legionella de Vila Franca de Xira decidiu, esta quarta-feira, suspender até Janeiro a audição de testemunhas nesta fase processual. Ana Rita Loja ouviu a primeira testemunha convocada, um antigo delegado regional de saúde, durante cerca de duas horas, mas anunciou que as novas sessões já marcadas ficam suspensas pelo menos até Janeiro.