Diogo Rocha: “Estamos a dizer ao mundo da gastronomia que também pode contar com Viseu”

Viseu já tem estrela Michelin graças ao Mesa de Lemos, em Passos de Silgueiros: o restaurante foi distinguido esta quarta-feira à noite na gala do célebre guia.

Fotogaleria
Diogo Rocha, o chef da Mesa de Lemos Diogo Baptista
Fotogaleria
Mesa de Lemos, o restaurante na Quinta de Lemos Diogo Baptista
Fotogaleria
Mesa de Lemos Diogo Baptista
Fotogaleria
Mesa de Lemos Adriano Miranda
Fotogaleria
Mesa de Lemos Adriano Miranda
Fotogaleria
Mesa de Lemos Adriano Miranda
Fotogaleria
Mesa de Lemos Adriano Miranda
Fotogaleria
Mesa de Lemos Adriano Miranda
Fotogaleria
Mesa de Lemos Adriano Miranda

Cinco anos depois da abertura, o Mesa de Lemos recebe a primeira estrela Michelin. Desde Maio de 2014, Diogo Rocha, com 37 anos e 12 de carreira, conduz a cozinha do moderno restaurante da Quinta de Lemos. Esta é a primeira distinção do guia em Viseu. 

“Estamos a dizer ao mundo da gastronomia que também pode contar com Viseu”, disse Diogo Rocha, o chef responsável pelo projecto do Mesa de Lemos desde o seu início, esta quarta-feira na cerimónia do Guia Michelin, decorrida em Sevilha, em que recebeu uma estrela para o seu restaurante em Passos de Silgueiros, enquanto mais três restaurantes portugueses recebiam a mesma distinção e Rui Paula conquistava a segunda estrela para a Casa de Chá da Boa Nova.

“Este momento é o êxtase”, alegrava-se Diogo Rocha. “A estrela é um estímulo para a cozinha da região, que sempre apostou nos sabores locais”, comentou o chef, referindo ainda que, “à excepção do café e do chocolate”, todos os produtos que usa na sua cozinha são portugueses. 

A chegada da estrela Michelin a Viseu também já foi saudada pelo Turismo do Centro. “chef Diogo Rocha há muito que merecia ombrear entre os melhores", comenta Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal”. “Espero que esta conquista do Mesa de Lemos, que demonstra a mais-valia de se tratar com requinte os produtos regionais, aliando a tradição à modernidade, constitua um exemplo a seguir por outros restaurantes” do Centro, acrescenta o responsável. 

O restaurante funciona no moderno edifício projectado pelo arquitecto Carvalho Araújo que, como se resumia na Fugas, é um ziguezague de cimento e vidro cravado nas pedras que marcam o terreno da Quinta de Lemos. E embora dê a volta a Portugal, aposta especialmente em produtos da região do Dão, com enfoque naqueles que são cultivados na própria horta da quinta.

Em 2018, Diogo Rocha publicou a colectânea de receitas Hoje. O livro reúne receitas tradicionais com um toque contemporâneo. As fotografias do livro, da autoria de Mario Ambrozio, valeram-lhe o prémio Portugal Cookbook Fair.

Este ano, o restaurante de Diogo Rocha foi distinguido com o prémio Garfo de Ouro Boa Cama e Boa Mesa. Em 2015 e 2016, o restaurante de Viseu já havia sido distinguido com os prémios “Restaurante Revelação do Ano”.

PÚBLICO -
Foto
O restaurante na Quinta de Lemos Diogo Baptista

A procura pelos melhores ingredientes é o que consome mais tempo a Diogo Rocha e à equipa: Diogo confessou à Fugas, por ocasião do lançamento do livro Hoje, que antigamente não olhava para as coisas assim. “O meu dia-a-dia como cozinheiro era pensado de outra maneira.”

Na Quinta de Lemos recordava que aprendeu, por exemplo, a perceber a sazonalidade do peixe. “Só pensamos nisso em relação à sardinha. Mas agora vamos entrar na época dos peixes cinzentos, o robalo, a dourada, o cherne. Não há robalo o ano inteiro, esqueçam.” E orgulha-se de ter “melhor peixe que a malta do litoral” porque, conta, o compra muitas vezes na lota de Peniche.

PÚBLICO -
Adriano Miranda
PÚBLICO -
Adriano Miranda
Fotogaleria
Adriano Miranda

Desde final de Junho que o Mesa de Lemos, inaugurado em Maio de 2014, tem um novo horário: se anteriormente só abria sexta-feira à noite e sábado ao almoço (estando no resto do tempo disponível apenas para os convidados da quinta), agora está aberto de terça a sábado ao jantar e sábado também ao almoço. 

Segundo já se podia ler no Via Michelin “é magnífico e destaca-se pela sua idílica localização, ocupando um prédio de design, muito bem integrado na natureza. Cozinha moderna, criativa e... diferente!”. Assinado: “os inspectores do guia Michelin”.

Sugerir correcção