Miguel retratou a tensa fronteira entre a Rússia e os Bálticos

Miguel Proença
Fotogaleria
Miguel Proença

Uma ideia de fronteira como “espaço ideológico e de confronto”, com foco no conflito geopolítico entre a Rússia e o “mundo ocidental nesta era da pós-verdade”. É esta a premissa do projecto The Buzzer, do fotógrafo português radicado em Londres Miguel Proença, que revisita a diáspora russa espalhada pelos Países Bálticos (Estónia, Letónia e Lituânia). O objectivo? “Questionar a identidade deste espaço pós-soviético onde a arquitectura e o urbanismo, pelas suas características, dificultam este processo de transição”, escreve Miguel Proença ao P3. The Buzzer integra a exposição A Glitch in the System, patente entre os dias 14 e 17 de Novembro em Milão, no âmbito do Photo Vogue Festival.

O português nascido no Porto em 1984 fez um intercâmbio universitário na Finlândia, onde tomou contacto com a relação tensa entre a Rússia e as antigas repúblicas soviéticas bálticas (ocupadas entre 1940 e os anos 90). “Muitos ainda continuam a acreditar que aquele território sempre fez parte da Rússia, o que não corresponde à verdade”, sublinha. Desde 2016 que Miguel tem vindo a entrevistar pessoas na Estónia, na Letónia e na Lituânia, em diferentes ocasiões que coincidiram com acontecimentos importantes: as eleições presidenciais russas de Março de 2018, as comemorações do Dia da Vitória Sobre o Nazismo (9 de Maio). Ao longo desse período, pesquisou também arquivos públicos e privados e foi a partir de gravações áudio de uma rádio amadora em Talin que surgiu o nome do projecto. “The Buzzer é a alcunha usada no Ocidente para identificar o que muitos especulam ser uma rede do comando militar russo”, explica, que vai ao encontro da ideia de especulação e propaganda, de ambas as partes, que atravessa todo o projecto.

Partindo de um jogo entre elementos — como “texto proveniente de artigos de jornais ou documentos e imagens adquiridas em diversos arquivos” —, o espectador deste projecto fotográfico é questionado. Isto porque, explica Miguel, por norma “o texto tenta contrariar a imagem de forma a destruir ou criar uma suspeita sobre o que vai sendo adquirido ao longo da narrativa”.

Desde que os Países Bálticos integraram a União Europeia e a NATO, afastando-se da esfera pós-soviética, “que o património cultural é sistematicamente aproveitado na política externa russa para, através dos média, manipular e reconquistar influências”. E não somente ao longo deste território. Com “elevados padrões de vida, uma composição étnica diversa, ausência de antecedentes histórias e fortes atitudes pró-soviéticas”, Estónia, Letónia e Lituânia eram vistas como a “vanguarda do socialismo”. Porém, após o colapso da URSS, sofreram transformações “dramáticas”, pelo que as memórias do passado “têm vindo a ser transfiguradas através de uma mimésis ocidental ou de uma supremacia militar generalizada pelos mass media”.

Já em 2019, Miguel Proença — que, com Lara Jacinto e António Pedrosa, fundou o Colectivo, em 2015 — foi um dos artistas selecionados para os novos talentos da The Photographer’s Gallery, em Londres. The Buzzer foi exibida na Photo London, na Unseen Amsterdam, em Madrid e em Braga. A publicação do livro é o próximo passo.

Jürmala, Letónia, 2018
Jürmala, Letónia, 2018 Miguel Proença
Demolição da estátua de Lenine por populares em Jõhvi, Estónia, 1991
Demolição da estátua de Lenine por populares em Jõhvi, Estónia, 1991 © The National Archives of Estonia
Consulado russo em Riga durante as eleições presidenciais, Letónia, 2018
Consulado russo em Riga durante as eleições presidenciais, Letónia, 2018 Miguel Proença
Durante um exercício militar da Presença Avançada da NATO em Pabradè, Lituânia, 2017
Durante um exercício militar da Presença Avançada da NATO em Pabradè, Lituânia, 2017 Miguel Proença
Membros do clube de Ciência e Tecnologia em Talin, Estónia, 1966
Membros do clube de Ciência e Tecnologia em Talin, Estónia, 1966 © The National Archives of Estonia
Sillamäe, Estónia, 2016
Sillamäe, Estónia, 2016 Miguel Proença
Katrina durante uma aula de desenho em Valka, Letónia, 2016
Katrina durante uma aula de desenho em Valka, Letónia, 2016 Miguel Proença
Lago Peipus, o lago que divide a Europa da Rússia e que ficou célebre no filme “Alexander Nevsky”, realizado por Sergei Eisenstein. Estónia, c.1935
Lago Peipus, o lago que divide a Europa da Rússia e que ficou célebre no filme “Alexander Nevsky”, realizado por Sergei Eisenstein. Estónia, c.1935 © The National Archives of Estonia ?
Urso embalsamado numa estação de serviço em Pasvalys, Lituânia, 2017
Urso embalsamado numa estação de serviço em Pasvalys, Lituânia, 2017 Miguel Proença
Núcleo da Central Nuclear de Ignalina em Visaginas. Lituânia, 2016
Núcleo da Central Nuclear de Ignalina em Visaginas. Lituânia, 2016 Miguel Proença
Vladimir em Narva, Estónia, 2018
Vladimir em Narva, Estónia, 2018 Miguel Proença
Kasepää, uma das muitas vilas piscatórias ao longo do lago Peipus. Estónia, 2016?
Kasepää, uma das muitas vilas piscatórias ao longo do lago Peipus. Estónia, 2016? Miguel Proença
Guarda fronteiriço em patrulha em Luhamaa. Estónia, 2016
Guarda fronteiriço em patrulha em Luhamaa. Estónia, 2016 Miguel Proença
Cadetes em Talin observam trajectória de um voo de inteligência americano sobre o território da URSS, 1960
Cadetes em Talin observam trajectória de um voo de inteligência americano sobre o território da URSS, 1960 © The National Archives of Estonia
Casa da Cultura de Seda. Letónia, 2016
Casa da Cultura de Seda. Letónia, 2016 Miguel Proença
Vista sobre a fronteira russa no Lago Peipus. Estónia, 2016
Vista sobre a fronteira russa no Lago Peipus. Estónia, 2016 Miguel Proença
Sugerir correcção