Direcção do PSD propõe directas a 11 de Janeiro e congresso a 7, 8 e 9 de Fevereiro

Próximo conselho nacional aprecia regulamentos das eleições e do congresso.

José Silvano, secretário-geral do PSD, já tem proposta para datas das eleições e do congresso
Foto
José Silvano, secretário-geral do PSD, já tem proposta para datas das eleições e do congresso Nelson Garrido

 A secretaria-geral do PSD vai propor ao conselho nacional que as directas para eleger o presidente do partido se realizem em 11 de Janeiro e o congresso em 7, 8 e 9 de Fevereiro, disse à Lusa José Silvano.

De acordo com o secretário-geral do PSD, uma eventual segunda volta realizar-se-ia no sábado seguinte à primeira data das eleições directas, em 18 de Janeiro.

O conselho nacional do PSD vai reunir-se na sexta-feira em Bragança e tem na ordem de trabalhos a análise da situação política, a marcação da data das eleições para o presidente da comissão política nacional e a aprovação do respectivo regulamento, bem como a convocação do 38.º Congresso Nacional do PSD.

Até agora, há três candidatos à presidência do PSD: o actual líder, Rui Rio, o antigo líder parlamentar Luís Montenegro e o vice-presidente da Câmara de Cascais, Miguel Pinto Luz.

De acordo com os estatutos do PSD, é eleito presidente da comissão política nacional o candidato que obtenha “a maioria absoluta dos votos validamente expressos”.

“Não se verificando esta condição, haverá lugar a uma segunda volta entre os dois candidatos mais votados que se realizará no prazo máximo de dez dias a contar do dia seguinte ao primeiro sufrágio, mantendo-se os mesmos cadernos eleitorais”, referem ainda os estatutos.