Reuters/JENNIFER GAUTHIER
Foto
Reuters/JENNIFER GAUTHIER

Greta “à procura de boleia” para Madrid depois de o Chile lhe ter trocado as voltas

Alteração do local da conferência das Nações Unidas sobre as alterações climáticas, prevista para o Chile, fez Greta pedir boleia para Madrid. O governo de Espanha já se mostrou disponível para ajudar.

A activista ambiental Greta Thunberg está a pedir ajuda para atravessar o Oceano Atlântico em Novembro, a tempo de ir à conferência das Nações Unidas sobre as alterações climáticas (COP25). A cimeira estava inicialmente marcada para o Chile, mas foi reagendada para Espanha devido à crise política e social naquele país da América do Sul, há semanas a braços com confrontos entre manifestantes e autoridades.

No Twitter, Greta diz que atravessou “metade do mundo na direcção errada” e pede agora ajuda para chegar a Madrid a tempo da COP25. Noutro tweet, a activista ambiental pediu desculpa aos países da América Central e América do Sul “que não vai poder visitar”, enviando “apoio ao povo do Chile”. Garante também que este percalço "não tem problema”, porque, diz, "está bem” - “faça o que fizer e onde quer que esteja”.

Greta está desde o final de Agosto no continente americano, onde chegou de veleiro, vinda da Europa, para evitar as emissões poluentes de uma viagem por via aérea. A activista ambiental esteve presente na sede das Nações Unidas e tem-se desdobrado em várias acções na defesa pelo clima.

A ministra espanhola para a transição ecológica, Teresa Ribera, já enviou uma mensagem à activista, através da rede social Twitter, disponibilizando-se para ajudar Greta a atravessar o Atlântico de volta à Europa, tendo agradecido à jovem sueca o facto de “ter ajudado a suscitar preocupações, abrir a mente e aprimorar a acção” no combate às alterações climáticas.

A conferência das Nações Unidas sobre as alterações climáticas está agendada para 2 a 13 de Dezembro, em Madrid.