Opinião

Sem grandes surpresas… mas com o sistema partidário a mexer!

Os pequenos partidos avançaram bem mais do que o regime gostaria. A PANfobia não impediu o seu grupo parlamentar. E a Iniciativa Liberal, Chega e Livre conseguiram chegar ao Parlamento apesar da bipolarização forçada propagandeada nas últimas semanas.

1. O PS ganhou como esperado. Terá crescido em votos e em mandatos, mas ficando abaixo do limiar dos dois milhões de votos (muito longe de 2005, quando Sócrates teve maioria absoluta). Podemos fazer de conta que o PS não queria a maioria absoluta para se livrar dos seus parceiros inconvenientes, e assim temos mais um “resultado histórico”. Afinal, o “milagre económico” não conseguiu transformar os 32% de 2015 em maioria socialista. Não é o lastro da corrupção e do nepotismo, não é o desgaste do regime, não é a inconsequência da propaganda otimista num país estagnado. É simplesmente Costa que não gosta de maiorias absolutas. Vitória. E agora o Governo segue dentro de momentos.