Torne-se perito

Um Fabric para agitar a cidade mais açoriana dos Estados Unidos

Inspirado por aquilo que testemunhou em São Miguel através dos festivais Walk & Talk e Tremor, Michael Benevides, chegado com os pais aos Estados Unidos com dois anos, no final dos anos 1970, imaginou que algo semelhante poderia ajudar a transformar a sua cidade, que nunca recuperou da crise da outrora florescente indústria têxtil. Entre 25 e 28 de Setembro, música e artes visuais espalham-se por Fall River, integrando-se na comunidade e procurando ser “uma faísca” para a mudança.

Fotogaleria
A dupla Carlos Medeiros e Pedro Lucas, autores de "Mar Aberto", serão uma das presenças no Fabric, em Fall River cortesia ©JoanaKomorebi
Lula Pena
Fotogaleria
Lula Pena cortesia Buddhy
,Downtown Boys
Fotogaleria
No Fabric ouvir-se-á o punk combativo, "queer" e anti-racista dos Downtown Boys dr

É uma extensão, de certa forma, mas será algo novo. Tem os mesmos propósitos, mas a integração num território novo, com a sua própria história e evolução social e cultural, implicará outros desafios. Há alguns anos, o luso-americano Michael Benevides, residente em Fall River, nos Estados Unidos, descobriu em Ponta Delgada dois festivais que têm marcado decisivamente a ilha açoriana de São Miguel, o Walk & Talk e o Tremor. “A forma como eram apresentados e a cobertura na imprensa estavam a projectar os Açores de uma forma que nunca tinha visto antes”, diz ao PÚBLICO. Foi o rastilho para chegarmos aqui: entre 25 e 28 de Setembro, Fall River, a cidade mais portuguesa (e mais açoriana) dos Estados Unidos, acolhe o Fabric Arts Festival. Música, cinema e artes visuais em diálogo com a comunidade local e com os espaços de que se fez o passado, de que se faz o presente e que se deseja possa ser também o futuro.