Matt Nelson
Foto
Matt Nelson

Quem tiver um cão em Zamora vai pagar imposto

Cada tutor vai passar a pagar nove euros por ano. Câmara espera angariar entre 50 mil euros e 90 mil euros.

Zamora, cidade espanhola onde o número de cães registados ultrapassa o número de crianças, anunciou um imposto exclusivo para tutores de cães. A partir de 2020, os donos vão começar a pagar nove euros por ano, valor que será empregue na criação de novas áreas de passeio e lazer para animais, implementar novos distribuidores de sacos para dejectos e na limpeza dos espaços públicos.

O custo da limpeza de excrementos de cães nas ruas foi uma das principais razões para a criação do imposto. “Os donos de cães deveriam contribuir, até um certo nível, para as despesas da cidade”, disse Diego Bernardo, conselheiro para as Finanças, Impostos e Receitas de Zamora, à Reuters. “O imposto causou uma reacção forte entre os cidadãos. Alguns não concordam de todo, outros simplesmente resignaram-se e outros aceitaram”, disse. 

A câmara da cidade no noroeste de Espanha espera angariar entre 50 mil e 90 mil euros, todos os anos. Ao El País, Diego Bernardo disse que a cidade gasta 250 mil euros para limpar os dejectos das ruas. 

O imposto não é pioneiro, nem tem o valor mais elevado quando comparado com outros exemplos europeus. Em Haia, na Holanda, e em Berlim, na Alemanha, quem tem um cão legalizado deverá pagar 120 euros todos os anos.

Em Portugal, não existe um imposto especial para cães. É, no entanto, obrigatório registar os cães na junta de freguesia de residência do tutor, bem como ter as vacinas em dia e o chip de identificação que, em 2021, passa também a ser obrigatório em gatos