Opinião

A vitória da dignidade

Como diplomata e português vivi um dia de sonho, irrepetível.

No dia 30 de agosto de 1999 eu estava em Díli. Era o diplomata mais jovem da missão de observadores do governo português. Foi uma honra ter servido em Timor nesse momento em que Portugal ajustou contas com a sua História e se uniu de uma forma ímpar, como nunca tinha acontecido desde o 25 de Abril.