Pedro Martins quer esquecer o que se passou há uma semana na Grécia

Apesar da vitória do Olympiacos por 4-0 no Pireu, o treinador português não pretende facilitar em Krasnodar.

,SSC Napoli
Foto
LUSA/GEORGIA PANAGOPOULOU

Uma semana depois de golear o Krasnodar por 4-0, com três golos no último quarto de hora, o Olympiacos vai jogar hoje, a partir das 20h, a segunda mão do play-off da Liga dos Campeões com o apuramento praticamente garantido, mas Pedro Martins não quer que os seus jogadores facilitem. Para o treinador português do vice-campeão grego, o Olympiacos tem que jogar em Krasnodar como se no Pireu a primeira partida tivesse terminado com um empate a zero. Do lado russo, o técnico Sergei Matveev não atira a toalha ao chão e apela à ajuda da sorte e dos adeptos do Krasnodar.

A fazer um excelente início de época, o Olympiacos somou no passado fim-de-semana, na estreia do campeonato grego, a quinta vitória consecutiva em jogos oficiais (as quatro anteriores foram no apuramento para a Liga dos Campeões) e, mesmo após golear o Krasnodar na primeira mão do play-off, Pedro Martins poupou meia-dúzia de habituais titulares no triunfo por 1-0, no sábado, sobre o Asteras Tripolis.

Sem querer correr riscos para o encontro de hoje na Rússia, o técnico português deixou de fora do “onze” os defesas Yassine Meriah e Konstantinos Tsimikas, os médios Mathieu Valbuena e Andreas Bouchalakis, e os avançados Giorgos Masouras e Miguel Guerrero.

As cautelas de Martins no jogo do campeonato helénico, a pensar no play-off, foram reforçadas ontem, na Rússia. O técnico reconheceu que os gregos têm “uma óbvia vantagem”, mas alertou que o rival russo continua a ser “muito difícil”: “O primeiro jogo foi quase sempre equilibrado. Fomos pacientes e controlámos o jogo de forma inteligente. Agora teremos que esquecer o que aconteceu na primeira mão e jogar como se ainda estivéssemos com 0-0.”

Se Martins pede cautela a José Sá, Ruben Semedo, Podence e companhia, Sergei Matveev confia num “milagre”. O jovem treinador do Krasnodar reconhece que o clube russo terá que “correr riscos” e admite que será “importante ganhar vantagem na primeira parte”. “Estamos preparados para o milagre. Precisaremos de sorte e da ajuda dos nossos adeptos”, disse Matveev.

Para além de Olympiacos ou Krasnodar, hoje haverá mais duas equipas apuradas para a fase de grupos e a superioridade, para já, no play-off é de duas equipas dos Balcãs. O Dínamo Zagreb de Ivo Pinto viaja até Trondheim com uma vantagem de 2-0 conquistada na semana passada, na Croácia, frente ao Rosenborg, enquanto o Estrela Vermelha de Tomané recebe, em Belgrado, o Young Boys com o conforto de ter conseguido um empate na Suíça, com golos (2-2).