Sérgio Conceição: “O presidente está à vontade comigo”

Treinador do FC Porto lembra que o clube não ganha há quatro anos quando foi contratado.

Foto
LUSA/JOSE COELHO

Sérgio Conceição chamou a si a responsabilidade pela derrota do FC Porto com o Krasnodar e pela consequente eliminação da Liga dos Campeões, que impede o clube “azul e branco” de encaixar 44 milhões de euros. O treinador dos “dragões” sublinhou, em conferência de imprensa, que nunca será um problema e que a relação com Pinto da Costa é feita de frontalidade.

“É ingrato sofrer um golo aos dois minutos, por falta de atenção. Depois, estávamos a atacar e numa transição sofremos o terceiro golo. Assim fica difícil”, resumiu o técnico, partindo posteriormente para a análise do segundo tempo. “Depois da conversa com os jogadores, a segunda parte foi acima da média. Sempre com a convicção de que podíamos dar a volta”.

Sobre o seu futuro no cargo, Conceição foi claro: “A sintonia com o presidente é total. O presidente está à vontade comigo. Nunca serei um problema. Quando cheguei aqui, não vencíamos o campeonato há quatro anos. O nosso lugar é na Liga dos Campeões e não na Liga Europa”, acrescentou.

Numa conferência de imprensa relativamente curta, o treinador dos “dragões” apontou também o dedo para fora de portas. “Esta intoxicação é inédita. Puseram o treinador contra a estrutura, contra os adeptos... Não perdemos por isso, foram erros meus. Mas estou aqui com toda a força do mundo para ganhar títulos esta época”.