Passageiro fotografa banco sem costas em voo da easyJet e a polémica voa

Uma passageira surge sentada num banco sem encosto num avião da companhia low cost e a fotografia tornou-se viral. easyJet garante que “nenhum passageiro foi autorizado a voar nesses assentos”.

Foto
Renato Cruz Santos

A polémica estalou esta manhã: Matthew Harris publicou uma fotografia no Twitter onde surge uma passageira sentada num assento sem costas, tirada a bordo de um avião da companhia aérea de baixo custo.

Legenda: “a easyJet bate a Ryanair nos lugares sem encosto. Este é o voo 2021 de Luton [um dos aeroportos que serve a capital inglesa] para Genebra”. E questiona-se: “Como é que isto pode ser permitido?”

Em declarações ao PÚBLICO, fonte oficial da easyJet confirma que a fotografia foi tirada no voo U22051, efectuado esta manhã, mas afirma que o momento registado decorreu durante o embarque, uma vez que “nenhum passageiro foi autorizado a voar nesses assentos”. “Estavam inoperáveis a aguardar reparação”.

A passageira não viajou naquele assento durante o take-off nem em qualquer outra circunstância”, acrescenta. “A segurança é a maior prioridade e a easyJet opera a sua frota de aviões em estrita conformidade com todas as directrizes de segurança.”

Numa segunda publicação, feita três horas mais tarde, Harris afirma que a fotografia foi tirada pelo seu parceiro e questiona-se uma vez mais: “É preciso imaginar o quão seguro seria o resto do avião. Este era o lugar dela. A mulher foi transferida para um assento sobresselente depois de concluído o embarque. Não tenho a certeza do que teria acontecido se o voo estivesse cheio.”

PÚBLICO -
Foto
DR

De acordo com a transportadora, o voo terá descolado “com cinco assentos extra a bordo”, para fazer face aos bancos que estavam estragados e que não teriam sido “contabilizados” para o check-in.

Não foi necessário muito tempo para que a fotografia se tornasse viral – e a polémica estalou, alavancada pelos comentários de uma conta falsa, @easyJetproblems, que se fez passar pelo serviço ao cliente da companhia aérea. Mas também pelo único comentário feito pela página oficial da easyJet, que pede a Harris que apague a fotografia.

“Olá Matthew, obrigada por trazer este assunto à nossa atenção, antes de podermos investigá-lo, peço-lhe que remova a fotografia e, depois, que nos envie mais informações a este respeito por mensagem privada, para que possamos ajudá-lo melhor”, lê-se. Harris recusou-se a fazê-lo.

PÚBLICO -
Foto
DR