Gucci cria novo cargo a favor da diversidade, igualdade e inclusão

A norte-americana Renée Tirado foi a escolhida para ocupar o posto depois de a casa de moda ter sido muito criticada.

,Gucci
Foto
Reuters/Charles Platiau

À semelhança da concorrente Chanel, a italiana Gucci está a investir na igualdade, diversidade e inclusão. Depois de uma polémica que envolveu uma acusação de racismo por ter sido divulgada uma fotografia de uma modelo branca com uma camisola preta de gola alta a tapar parte da cara que lembrava a blackface, a marca de luxo nomeou a norte-americana Renée Tirado para o novo cargo de directora global da diversidade igualdade e inclusão.

A advogada, que já teve a mesma responsabilidade na Liga Americana de Baseball, estará em Nova Iorque e responderá directamente ao CEO da casa italiana, Marco Bizzarri. Na Gucci, caberá a Renée Tirado desenvolver e implementar estratégias a fim de criar um local de trabalho que responda pela igualdade e inclusão, e o seu primeiro desafio será diversificar a equipa. 

Esta iniciativa faz parte de um compromisso da marca. No início do ano, a Gucci anunciou que iria investir cerca de nove milhões de euros em iniciativas em prol da diversidade e em transformações na génese da empresa.