Boris Johnson: o jornalista ambicioso que se agarrou ao “Brexit” para chegar ao topo

Ex-ministro dos Negócios Estrangeiros e mayor de Londres chega a primeiro-ministro do Reino Unido depois de percorrer um caminho de polémicas, que lhe valeu a admiração e o desprezo de amigos e inimigos. Entre os jornais e Downing Street deu a cara pela saída da UE e promete cumpri-la a todo o custo.

,Partido Conservador
Fotogaleria
No mercado Mahane Yehuda, em Jerusalém, em 2015 Ronen Zvulun/REUTERS
Fotogaleria
Como primeiro-ministro, Boris Johnson tem a missão de completar o "Brexit" Reuters/FRANCOIS LENOIR
,Eleição da liderança do partido conservador 2019 (Reino Unido)
Fotogaleria
Com um arenque, num momento da campanha pra líder do Partido Conservador Henry Nicholls/REUTERS
,Prefeito de Londres
Fotogaleria
A atropelar um miúdo japonês de dez anos em Tóquio num jogo de rãguebi, em 2015 Issei Kato/REUTERS
,Partido Conservador
Fotogaleria
De metro com o ex-primeiro-ministro David Cameron, em Londres, em 2014 Stefan Rousseau/REUTERS
,Eleição da liderança do partido conservador 2019 (Reino Unido)
Fotogaleria
Numa visita à fábrica da empresa Heck Foods, a 4 de Julho deste ano Darren Staples/REUTERS
,Jeremy Hunt
Fotogaleria
A participar num jogo de cabo de guerra com membros dos Serviços Muncipalizados de Londres, em 2015 Stefan Wermuth/REUTERS

“É um homem que espera para ver para que lado a multidão está a correr antes de ‘sprintar’ para a dianteira e gritar: ‘sigam-me!’”. Não é nada simpática esta descrição que o antigo vice-primeiro-ministro britânico conservador, Michael Heseltine, fez de Boris Johnson, em Setembro do ano passado, quando este intensificava a sua oposição ao acordo do “Brexit” que viria a ser alcançado entre Theresa May e a União Europeia – e que a fez cair, meses depois. Mas falar do ex-ministro dos Negócios Estrangeiros e ex-mayor de Londres é falar de controvérsia e de contradição. Tal como a sua chegada ao número 10 de Downing Street: mais do que expectável e, ao mesmo tempo, estranhamente surpreendente.