Foto

Um vaso que te ajuda a não matar plantas (e ainda te sorri de volta)

O “vaso inteligente” tem sensores que medem a luz, temperatura e humidade do solo e um ecrã que mostra o que a planta está “a sentir”, através de expressões faciais animadas. Os criadores querem “transformar as plantas num animal de companhia virtual”.

As folhas ficam amarelas ou começam a cair. Deita-se mais água, muda-se o sítio, procuraram-se tutoriais no YouTube feitos por pessoas que conseguem ter folhas verdes em cada canto do apartamento. Já quem os vê, tudo o que sabe é que não era suposto a planta morrer semanas depois de pousar o vaso na mesa da sala. 

Lua é um “vaso inteligente" pensado para quem não consegue perceber se chegou a altura de regar espetando um dedo no solo. O vaso, criado por uma empresa de design luxemburguesa, está equipado com sensores que medem a humidade do solo, a temperatura na sala e a luz. Mas é diferente de outros dispositivos já existentes porque a informação recolhida pelos sensores é depois transformada em seis expressões faciais animadas, que surgem num ecrã incorporado no vaso. Lua tem também um sensor de movimento que faz com que os “olhos” animados sigam as pessoas ou animais de companhia que passam pela planta. Isto porque outro dos objectivos da Mu Design é “transformar a planta numa companhia virtual”.

Uma cara a arfar, de língua de fora, por exemplo, indica que a planta está “com sede” e precisa de ser regada. Mas uma planta também pode morrer por excesso de água — e é para isso que serve a animação de uma cara “doente”. Também há expressões faciais que alertam para quedas ou subidas de temperatura, exposição solar excessiva ou uns dentes de vampiro para quando a sala estiver demasiado escura há vários dias

Existem ainda outras animações que não servem para indicar o bem-estar ou a saúde da planta, mas antes para tornar o vaso mais interactivo: uma língua de fora (só pela brincadeira), uma piscadela de olho ou uma cara feliz, quando atingidas as condições ideais. Como estas variam de planta para planta, é preciso primeiro seleccionar na app gratuita a família ou a espécie do exemplar que vais pôr no vaso, de forma a personalizar as suas necessidades. Isto gera um código QR com as informações específicas da planta, que é depois “lido” pelo vaso.

Segundo a campanha de crowdfund a decorrer no Indiegogo, a equipa liderada pelo designer Vivien Muller já tem um “protótipo completamente funcional”. A 15 dias de terminar o pedido de financiamento público, já foram doados mais de 33 mil euros, ultrapassando o objectivo de 30 mil euros. 

Os “vasos inteligentes” deverão começar a ser enviados para quem contribuiu com 49 euros ou mais até ao final do ano. Ainda não se sabe quando ou se o vaso vai estar disponível para compra.