Opinião

Na universidade, a antiguidade é um posto?

Enquanto este panorama não mudar, é impossível que a universidade portuguesa deixe de ser uma academia de capelinhas e de cumplicidades, com padrinhos e afilhados (e enteados também).

É difícil consultar um dos muitos rankings internacionais de universidades e não se ficar envergonhado com o lugar que Portugal ocupa. Houve progressos, claro, mas estão longe do necessário. Uma das causas do atraso das nossas universidades está identificada: a endogamia. Tira-se o curso numa universidade e fica-se por lá. No meu tempo, depois da licenciatura, era-se contratado como assistente estagiário; a seguir fazia-se o mestrado e passava-se a assistente, depois o doutoramento e ficava-se professor. Sempre tudo no mesmo sítio.