Ursula von der Leyen presidente da Comissão Europeia: “I’m coming home”

A votação foi à justa, 52% a favor e 48% contra, mas a primeira mulher escolhida pelos líderes europeus para chefiar o executivo comunitário foi confirmada no cargo pelo Parlamento Europeu. As vicissitudes da eleição foram esquecidas assim que o resultado foi anunciado. “Em democracia, uma maioria é uma maioria”, a que Von der Leyen obteve é pro-europeia e não populista.

Foto
Ursula von der Leyen Vincent Kessler/REUTERS

Ursula von der Leyen já tem o seu lugar garantido na História, como a primeira mulher a liderar a Comissão Europeia, seis décadas depois do alemão Walter Hallstein, com quem o seu pai trabalhou. A alemã foi eleita presidente do executivo comunitário, com 383 votos a favor, 327 votos contra, 22 abstenções e um voto nulo — uma maioria absoluta, muito curta, de apenas nove votos acima do mínimo necessário. Mas “em democracia, uma maioria é uma maioria”, frisou Von der Leyen, que depois da forma positiva e calorosa com que o Parlamento Europeu recebeu o seu discurso talvez esperasse um maior apoio à sua candidatura.