Chloe Evans/Unsplash
Foto
Chloe Evans/Unsplash

Japão: veados de Nara estão a morrer por ingestão de plástico

Turistas estão a ser impedidos de alimentar indevidamente os animais depois de terem sido encontrados sacos de plástico no estômago de nove veados. Em 2017, mais de dois milhões de turistas visitaram Nara.

As autoridades de Nara, cidade japonesa que já foi capital do país, estão a alertar os turistas para não alimentarem os veados, uma vez que vários cervos morreram após engolirem sacos de plástico. Acredita-se que os sacos e as embalagens — encontrados em grandes quantidades no estômago de nove de 14 animais mortos desde Março — foram descartados por visitantes que alimentaram os veados, ignorando os sinais de aviso que dizem que estes apenas podem comer bolachas senbei (feitas de arroz japonês e adequadas à alimentação destes animais).

De acordo com a Fundação de Preservação de Cervos de Nara, um dos animais chegou a engolir 4,3 quilogramas de plástico. Os veados “acabam por comer os sacos de plástico que estão no chão”, disse o responsável pela fundação, Yoshitaka Ashimura, em declarações citadas pelo Channel News Asia. Ashimura acredita que estes casos aumentaram recentemente devido “ao número crescente de visitantes”, que se dirigem para Nara para ver os santuários e templos e interagir com os cerca de 1300 cervos que vivem no principal parque da cidade.

PÚBLICO -
Foto
“Por favor, não lhes dêem mais nada para além dos lanches designados”, alertou um veterinário. Thomas White/Reuters

Rie Maruko, veterinário e membro da Fundação de Preservação de Cervos de Nara, contou ao Guardian que “os veados que morreram eram muito magros”, acrescentando que até conseguiu “sentir-lhes os ossos”. “Por favor, não lhes dêem mais nada além dos lanches designados”, alertou.

As autoridades locais, que planeiam investigar a situação, avisaram que iriam intensificar os pedidos para que as pessoas não forneçam aos animais lanches não autorizados — até porque o número de visitantes de Nara subiu quase dez vezes desde 2012. Em 2017, foram contabilizados mais de dois milhões de turistas.

Os membros da fundação conservacionista estão também a patrulhar regularmente a área para proteger os veados, considerados tesouros nacionais, e impedir que engulam acidentalmente sacos de plástico descartados ou outros itens que não sejam seguros para consumo.