Ana Gomes pede investigação a transferências no futebol português

Ainda como eurodeputada, Ana Gomes enviou a várias entidades europeias e portuguesas documentação do Football Leaks que “exemplifica esquemas de triangulação” nas transferências.

Ana Gomes
Foto
Ana Gomes Miguel Manso

Foi o último acto enquanto deputada europeia. A socialista Ana Gomes enviou na terça-feira para vários membros do Governo português, autoridades judiciais e várias instâncias europeias um conjunto de documentação divulgados pelo Football Leaks que “exemplifica esquemas de triangulação e de bridge transfer [esquema eventualmente fraudulento] engendrados para aqueles propósitos e utilizados por clubes portugueses”.

“Para investigação de eventuais crimes de fraude e evasão fiscal e branqueamento de capitais envolvidos nas transferências de jogadores entre clubes de futebol, correntemente em curso e implicando somas faraónicas, junto envio a v. Exas um conjunto de documentação obtido e publicado via Football Leaks”, escreve a ex-eurodeputada na carta (em PDF).

Além das várias instâncias europeias, incluindo o director do Europol e do Eurojust, a documentação foi enviada para a procuradora-geral da República, Lucília Gago, o ministro das Finanças e presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, a ministra da Justiça, Francisca van Dunem, o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, a presidente do conselho de administração da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, Gabriela Figueiredo Dias, e para o director nacional da Polícia Judiciária, Luís Neves.

“Carta que ontem enviei autoridades portuguesas, remetendo a enviada a instâncias europeias, alertando para riscos #evasaofiscal e #branqueamento em contratos bridge transfer entre clubes futebol. Não podem pretender não saber!”, escreveu Ana Gomes esta quarta-feira na rede social Twitter.

Ana Gomes tem sido alvo de várias críticas depois de, há uma semana, ter questionado o valor a pagar ao Benfica pelo Atlético de Madrid na transferência de João Félix, concretizada esta quarta-feira, por 126 milhões de euros.

Bruno Faria Lopes, jornalista da Sábado, escreveu no Twitter não ter ainda encontrado uma “explicação racional e fundamentada” para que a venda envolva valores tão elevados: “Um jogador de futebol com apenas 19 anos, que jogou meia época num campeonato de terceira categoria, e que aí se revelou, é vendido por 120 milhões de euros, naquela que é a quarta maior transferência de sempre. Ainda não li uma explicação racional, e fundamentada, para isto”, escreveu o jornalista.

“Não será negócio de lavandaria?”, questionou Ana Gomes, em resposta a Faria Lopes.