Regulador constata mau serviço prestado pela CP mas diz que não a pode sancionar

A Autoridade da Mobilidade e dos Transportes limita-se a recomendar a melhoria das informações aos passageiros. CP diz que os problemas da empresa não dependem dos seus actos de gestão.

Foto
Andre Rodrigues

Num relatório de fiscalização à CP, na sequência das inúmeras queixas por parte dos clientes e das notícias sobre as supressões e atrasos dos comboios, a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) deu 20 dias à empresa para elaborar um plano de comunicação destinado a informar os passageiros sobre as perturbações no serviço e um plano de formação para os trabalhadores da empresa no sentido de os habilitar a prestar “informações esclarecidas, correctas, precisas e adequadas aos utentes”.