Ministério Público investiga burla com vistos gold em negócio de 40 milhões

Investidores chineses dizem que pensavam que estavam a comprar lojas e que em vez disso venderam-lhes armazéns na zona de Benavente e duvidam dos valores cobrados. Muitos investiram mais de 500 mil euros e não conseguiram visto nenhum

Foto
Xiaochen Jia (do lado esquerdo) alega que não tem casa nem visto gold. Cao Wei e a mulher Jin Wenjun denunciaram o caso. Direitos Reservados

O Ministério Público (MP) está a investigar os contornos que envolveram a construção do Centro POAO, o megacentro comercial chinês grossista, no Porto Alto, Samora Correia, concelho de Benavente, que foi anunciado em 2016 como um investimento de 40 milhões de euros. Este centro funciona como entreposto comercial onde as lojas chinesas se podem abastecer.