Turquia bate campeã mundia e ofusca goleada da Rússia

Dzyuba assinou um “póquer”, com os da casa a destroçarem o adversário com quatro golos entre os 73 e os 83 minutos.

Foto

A Turquia impôs neste sábado, no Konya Arena, a primeira derrota (2-0) de 2019 à campeã mundial França, que depois do Rússia 2018 apenas tinha sido batida pela Holanda (também por 2-0) na fase de grupos da Liga das Nações, em Novembro de 2018. Com três vitórias em três jogos, a Turquia bateu pela primeira vez na história os gauleses e destronou-os do topo do Grupo I, assumindo, isolada, a liderança do grupo de qualificação para o Campeonato da Europa de 2020.

Os franceses, surpreendidos por Kaan Ayhan (30’) e Cengiz Under (40’), passam agora a ter a companhia da Islândia, que superou a Albânia (1-0).

A troca de comando no grupo dos campeões do mundo “roubou” o protagonismo à retumbante vitória da Rússia, que arrasou São Marino com nove golos sem resposta, em jogo da terceira jornada do Grupo I, disputado na Arena Mordovia, em Saransk.

Artem Dzyuba assinou um “póquer” (31’ g.p., 73’, 76’ e 88’), com Fedor Smolov a bisar (77’ e 83’), tendo Kudryashov (36’) e Miranchuk (41’) marcado os oito golos russos... já que o primeiro foi da responsabilidade de Michele Cevoli (25’), na própria baliza.

Foi preciso um autogolo, após 25 minutos de jogo, para despertar toda a ferocidade russa perante uma selecção demasiado frágil, que somou a terceira derrota, não tendo feito qualquer remate e acusando já um registo de 16 golos sofridos e nenhum marcado.

Pouco impressionada com o registo, a Bélgica recuperou o comando um par de horas mais tarde, ao vencer o Cazaquistão (3-0). Resultado idêntico ao da Itália na Grécia. Os italianos resolveram a questão no intervalo de 10 minutos, com Barella (23’), Insigne (30’) e Bonucci (33’) a garantirem a liderança destacada no Grupo J.

Em Borisov, a Bielorrússia cedeu a terceira derrota da fase de apuramento, agora frente à Alemanha (0-2), graças aos golos de Leroy Sane (13’) e Marco Reus (62’). Com a Holanda — finalista da Liga das Nações — de “folga”, é a Irlanda do Norte a liderar, com três vitórias, mas mais um jogo que alemães e holandeses.

No grupo da Croácia, vice-campeã do mundo, uma vitória (2-1) sobre o País de Gales deixou os croatas na frente, a par da Hungria. O Grupo E é o mais equilibrado, com galeses e eslovacos (ambos com um jogo a menos) ainda com possibilidades de discutirem o primeiro lugar.