“Queremos dar uma alegria aos portugueses”, diz Fernando Santos

Seleccionador perspectiva “jogo tremendo” contra a Holanda na final da Liga das Nações.

O objectivo é vencer a Liga das Nações, diz Fernando Santos
Foto
O objectivo é vencer a Liga das Nações, diz Fernando Santos LUSA/FERNANDO VELUDO

A selecção portuguesa defronta, no domingo, a Holanda (19h45, RTP1), na final da Liga das Nações, e Fernando Santos só pensa em ganhar para “dar uma alegria aos portugueses”. O técnico repetiu os elogios a Cristiano Ronaldo e disse que jogar a final em casa, no Estádio do Dragão, é motivante para os jogadores.

“Não há pressão em jogadores que disputam campeonatos importantíssimos, que disputam a Liga dos Campeões. Portugal tem estado sempre presente nas fases finais das grandes competições. A pressão é sempre positiva, mas jogar em casa e poder contar com o apoio do nosso público é muito motivante”, afirmou Fernando Santos na antevisão da partida.

“A selecção nacional, desde sempre, tem como objectivo ganhar. E uma equipa que quer ganhar tem de fazer golos. É necessária uma filosofia de ataque, mas ao mesmo tempo muito equilíbrio no jogo para não sermos surpreendidos”, prosseguiu o seleccionador nacional, que considerou “positiva” a avaliação das suas escolhas na meia-final contra a Suíça (3-1). “Antes do jogo decide-se, depois do jogo avaliamos o que aconteceu. O objectivo era ganhar e isso foi alcançado, o que é um sinal de sucesso”, sublinhou.

Sem entrar em detalhes quanto a eventuais alterações na equipa – para além daquela a que está obrigado, por causa da lesão de Pepe – Fernando Santos reiterou a importância de Cristiano Ronaldo para a selecção. O capitão fez o s três golos no triunfo sobre a Suíça e o seleccionador mostrou-se convicto que “vai continuar a dar muitas alegrias quer nos clubes, quer na selecção nacional”.

“Surpreendido fiquei quando o Cristiano Ronaldo foi meu jogador no Sporting, muito novo, com 19 anos. Não devia tê-lo posto a jogar contra o Manchester United, na inauguração do Estádio de Alvalade, porque fiquei sem ele. Para além da qualidade enquanto futebolista, é um jogador que tem objectivos muito determinados, está sempre bem fisicamente, mantém os graus de intensidade muito elevados e treina sempre no limite. Um jogador de 34 anos a marcar 50 golos por época não é comum, mas acho que vai continuar a fazê-lo por mais uns anos”, reforçou.

Sobre a Holanda, adversário na final da Liga das Nações, Fernando Santos considerou tratar-se de uma equipa “extraordinária”. “Tem jogadores de enormíssima qualidade. A Holanda tem crescido muito nos últimos anos, no sentido de recuperação. Quando há um momento de transição há uma pequena quebra, e foi o que aconteceu com a Holanda. Agora está novamente na fase de crescimento. Basta ver o percurso do Ajax na Liga dos Campeões. Sabemos a sua história e o valor enorme destes jogadores. Irei montar uma estratégia que eu acredito irá levar-nos à vitória, tendo em conta também aquilo que o adversário faz”, afirmou Fernando Santos.

O prolongamento que a Holanda foi obrigada a disputar frente à Inglaterra para garantir o lugar na final foi desvalorizado pelo seleccionador português: “No plano teórico teria influência, no plano prático acho que não. Disputar uma final é sempre motivante e o cansaço desaparece. Neste momento da época todos os jogadores já estão numa fase de cansaço. A frescura mental vai atenuar algum cansaço físico. Todos têm o desejo de disputar uma final e conquistar um troféu.”

“Ganhar é sempre importante para os jogadores, para a equipa técnica, para o país. Vai ser um jogo tremendo. Queremos dar uma alegria aos portugueses. Quero ganhar amanhã e sei que isso vai dar-nos uma alegria enorme”, concluiu.