Documentário do PÚBLICO sobre Pedrógão Grande distinguido pela AMI

Documentário “Pedrogão Grande: Eis que fazem novas todas as coisas” mereceu uma menção honrosa no Prémio AMI – Jornalismo Contra a Indiferença.

Foto
Adriano Miranda

Os jornalistas Liliana Valente, Sibila Lind e Frederico Batista foram distinguidos com uma menção honrosa na 21ª Edição do Prémio AMI por “Pedrogão Grande: Eis que fazem novas todas as coisas”, um documentário do PÚBLICO.

O documentário foi premiado “por ser um trabalho que consegue mostrar, com sensibilidade e originalidade, uma realidade que o país viveu intensamente”, diz a Assistência Médica Internacional (AMI).

Na 21ª edição do Prémio AMI – Jornalismo Contra a Indiferença, o trabalho “O Mal-Entendido – as doenças a que chamamos cancro”, da autoria de Miriam Alves, da SIC, foi o vencedor do prémio principal, no valor de 7500 euros.

O júri, constituído por Bárbara Baldaia, Raquel Moleiro, Rita Colaço (autoras dos prémios vencedores no ano passado), Maria João Pinto (doadora da AMI) e Fernando Nobre, presidente da AMI, decidiu também distinguir outros trabalhos com uma menção honrosa. 

Dos distinguidos fizeram parte Ricardo Rodrigues (Diário de Notícias) com o trabalho “Na Bulgária, caçar refugiados é um desporto”, “Terra de todos, Terra de alguns”, de Sofia da Palma Rodrigues e Diogo Cardoso (publicado no site Divergente e no PÚBLICO), e “Chernobyl – Onde vivem os fantasmas”, da autoria de Vânia Maia, da revista Visão.