“Jogamos por uma nação que nem sabe os nossos nomes”: o grito de revolta da selecção feminina alemã

"Jogamos por uma nação que nem sabe os nossos nomes." A mensagem é dura e incisiva. A menos de um mês do início do Campeonato do Mundo de futebol feminino, a selecção nacional da Alemanha protagonizou um anúncio publicitário onde critica a forma como os amantes do desporto germânico desvalorizam o esforço e conquistas das formações femininas.

Apesar do sucesso avassalador da selecção alemã — que conquistou oito Europeus, dois Mundiais e ainda o ouro olímpico, no Rio de Janeiro, em 2016 —, as jogadoras contam que, para além das oponentes que encontram no relvado, têm de enfrentar outro adversário: os preconceitos

Num vídeo acelerado e dinâmico — que vai de encontro aos que acusam o futebol feminino de ser disputado "em câmara lenta" — as atletas desmontam  as críticas com que são confrontadas diariamente. "As mulheres só servem para fazer bebés" ou "estavam bem era na lavandaria" são alguns dos comentários citados pelas internacionais alemãs, que fazem questão de deixar uma mensagem bem clara: "Quando se trata de ídolos, apenas temos de olhar para o espelho". Até à derradeira provocação: "Não temos bolas, mas sabemos usá-las."

O anúncio patrocinado pelo banco Commerzbank recolheu elogios internacionalmente e serve como uma antevisão ao Campeonato do Mundo que arranca a 7 de Junho em França.

Sugerir correcção