Einstein pelo país

Em Portugal, há várias palestras, exposições e selos para comemorar os 100 anos da observação do eclipse solar total na ilha do Príncipe e no Sobral para comprovação da teoria da relatividade geral de Einstein.

,Bicicleta
Fotogaleria
Albert Einstein em 1933 Reuters
,Bicicleta
Fotogaleria
Albert Einstein em 1933 Reuters

Uma exposição

Einstein, Eddington e Eclipse – são as três palavras que dão nome a uma exposição no Museu Nacional de História Natural e da Ciência (MUHNAC), em Lisboa, que celebra o centenário do eclipse solar total de 1919: a E3 – Einstein, Eddington e o Eclipse. Inaugurada a 16 de Maio, esta exposição tem a curadoria de Ana Simões (do Centro Interuniversitário de História das Ciências e Tecnologia, da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa), centra-se nas peripécias das expedições científicas à ilha do Príncipe e a Sobral (no Brasil) e pode ser vista até 8 de Setembro.

Na Sociedade de Geografia de Lisboa

Para comemorar o 100.º aniversário da expedição de Arthur Eddington à ilha do Príncipe, a Sociedade de Geografia de Lisboa organiza esta quarta-feira três palestras. José Osório (da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto) falará às 16h30 sobre a comprovação experimental do desvio gravitacional da luz segundo a teoria da relatividade de Albert Einstein. Depois, às 17h15, Máximo Ferreira (director do Centro Ciência Viva de Constância – Parque de Astronomia) dará uma palestra denominada “Eddington e Einstein, observações do eclipse total do Sol de 29 de Maio de 1919”. Já Yasser Omar (do Instituto Superior Técnico de Lisboa) e Vanessa Zuzarte (do Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Lisboa) apresentarão o tema “Literacia científica para o desenvolvimento: O exemplo dos 100 anos das observações de Eddington no Príncipe”. Por fim, às 18h30, é inaugurada uma exposição sobre correspondência trocada entre colaboradores de Eddington e a Sociedade de Geografia de Lisboa em 1919 durante a preparação da missão à ilha de Príncipe.

Palestra em Coimbra

O Museu da Ciência da Universidade de Coimbra comemora a data ao longo da tarde desta quarta-feira. Logo às 14h30 haverá uma videoconferência no Príncipe e no Sobral. Às 16h, Fernando Pinheiro, do Centro de Investigação da Terra e do Espaço da Universidade de Coimbra, dará a palestra “O eclipse de Eddington e Einstein”.

No Observatório de Lisboa

Integrado na exposição E3 – Einstein, Eddington e o Eclipse, o Observatório Astronómico de Lisboa tem um ciclo de palestras de teor científico com observações e visitas ao edifício. Haverá um ciclo colóquios, com a “O lado escuro do eclipse”, de Tiago Barreiro (do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço – IA) a 7 de Junho; Paulo Crawford (também do IA) falará sobre “A origem do tempo em cosmologia” a 12 de Julho; e José Afonso (do IA) apresentará a palestra “O lado brilhante do Universo” a 6 de Setembro.  

Conversas para toda a gente

Já no auditório do Caleidoscópio da Universidade de Lisboa, há palestras para um público generalista. Pedro Ré (da Faculdade de Ciências de Lisboa) apresentará a 20 de Junho o colóquio “No Interior do cone da sombra – Eclipses do Sol e da Lua”; Marta Macedo (do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa) abordará as roças de São Tomé e Príncipe como espaço de tecnociência a 27 de Junho; e Duarte Pape (do escritório de arquitectura Paralelo Zero) falará a 4 de Julho da roça de Sundy depois de Eddington.  

PÚBLICO -
Foto
Os dois selos criados pelos CTT para estas comemorações DR

Um café com ciência

A 15 de Junho, às 21h30, Carlos Herdeiro, físico no Instituto Superior Técnico, dará a palestra “Curvando a luz, de Eddington aos buracos negros” no Observatório do Lago Alqueva, em Monsaraz.

Viagem em selos

Einstein e o eclipse de 1919 poderão andar espalhados pela correspondência em Portugal (ou no estrangeiro). Os Correios de Portugal (CTT) lançaram dois selos dedicados ao centenário do eclipse solar total de 1919: um tem a fotografia de Albert Einstein, o outro a do eclipse total do Sol.