Matosinhos define regras para acolher trotinetes e bicicletas eléctricas

Uso destes veículos vai possibilitar a quantificação, valorização e transacção das emissões de carbono evitadas com a sua utilização.

Foto
Nuno Ferreira Monteiro

A Câmara Municipal de Matosinhos vota nesta terça-feira as regras e condições para acolher os operadores de trotinetes e bicicletas eléctricas com motor e de uso partilhado sem doca, segundo proposta a que a Lusa teve acesso.

Os operadores deste tipo de transporte têm demonstrado interesse em operar em Matosinhos, no distrito do Porto, sustenta.

A proposta “Memorando de Entendimento para os Operadores de Trotinetes/Bicicletas Eléctricas sem Doca” vai ser votada na terça-feira em reunião pública do executivo municipal, agendada para as 15h00.

A operação deverá ocorrer de modo a não causar perturbações à circulação e a não prejudicar a acessibilidade e segurança de pessoas e bens na via e espaços públicos, nomeadamente a de pessoas com mobilidade reduzida, refere.

As trotinetes/bicicletas com motor serão disponibilizadas pelo operador nos locais destinados para o efeito, nomeadamente nos “pontos de partilha” cuja localização e instalação serão previamente autorizados e acompanhados por este município.

“Devidos às características de uma grande parte dos pavimentos das rodovias do concelho de Matosinhos, em cubos de granito, as trotinetes disponibilizadas pelos operadores deverão possuir suspensão hidráulica, travões mecânicos e rodas de 10 polegadas”, determina.

A proposta define que o operador garanta que às 07h00 horas a totalidade da sua frota se encontre nos hotspots e que não haja veículos tombados no chão.

Segundo a proposta, o operador compromete-se a contribuir para a descarbonização de Matosinhos, em função da actividade desenvolvida. Para tal, deverá facilitar a integração com a plataforma tecnológica AYR, de forma a possibilitar a quantificação, valorização e transacção das emissões de carbono evitadas com a sua utilização.

Em declarações à Lusa, o vereador do Transportes e da Mobilidade, José Pedro Rodrigues, adiantou que há manifestações de interesse, mas não propostas concretas.

Sobre a entrada em funcionamento deste novo transporte, o vereador eleito pela CDU disse que “provavelmente antes do Verão” estará no terreno.

De acordo com os resultados do inquérito à mobilidade nas áreas metropolitanas do Porto e Lisboa, realizado pelo Instituto Nacional de Estatísticas em 2017, 62% das deslocações diárias em Matosinhos são efectuadas em transporte individual.

“O Município de Matosinhos tem realizado um conjunto de investimentos nos modos suaves/activos, nomeadamente através da criação de uma infra-estrutura de suporte às mobilidades ciclável e partilhada, entre outras actividades que visam encorajar e promover o uso de modos activos e alternativos ao automóvel particular”, salienta a proposta.

A promoção da utilização dos modos suaves, como alternativa ao automóvel, em deslocações de curta distância ou como complemento do transporte público é uma medida que poderá contribuir para a adopção de hábitos de transporte mais sustentáveis, considera.

Sugerir correcção