Perderam a casa, a farmácia e ficaram cheios de dívidas: justiça investiga burla de milhões

Família Lopes acusa fundador do Grupo de Farmácias Progresso de os ter enganado e reclamam em tribunal mais de 1,4 milhões de euros. Há 25 réus, entre eles Bruno Lourenço, envolvido já em outros processos.

Foto
Farmácia Higiene, em Castelo Branco, entrou em insolvência com dívidas superiores a 2,8 milhões de euros PAULA ABREU / PUBLICO

Alexandre Lopes, a mulher e a filha perderam todo o património que tinham e ainda ficaram com dívidas avultadas, no âmbito de um negócio da venda da farmácia que detinham, a Higiene - Amatus Lusitanus, em Castelo Branco. O comprador nunca cumpriu com o contrato de cessão de quotas e o respectivo plano de pagamentos.