Entrevista

Sal e açúcar vão ser reduzidos em mais de 2000 produtos alimentares

Maria João Gregório, a nova directora do Programa Nacional para a Alimentação Saudável, diz que acordo foi “complexo”. Foi preciso mais de um ano e 17 reuniões.

,LinkedIn
Fotogaleria
Ricardo Campos
Fotogaleria
Ricardo Silva
Fotogaleria
Ines Fernandes

Esta quinta-feira a Direcção-Geral da Saúde (DGS) assina com sete associações da indústria alimentar e distribuição — Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares, Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição, Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios, Associação Nacional de Comerciantes e Industriais de Produtos Alimentares, Associação Portuguesa de Produtores de Flocos de Cereais, Associação Nacional dos Industriais de Gelados Alimentares, Óleos, Margarinas e Derivados e Associação Portuguesa de Bebidas Refrescantes não Alcoólicas — um acordo que vai permitir reduzir as quantidades de sal, açúcar e gorduras trans em cereais de pequeno-almoço, iogurtes, pão, sopas prontas a comer e batatas fritas, entre outros produtos. O acordo levou mais de um ano a ser alcançado.