Manifestantes vestidos de negro marcam protesto do 1.º de Maio em Paris

Há 7400 polícias destacados para a manifestação.

Fotogaleria
BENOIT TESSIER/Reuters
Fotogaleria
BENOIT TESSIER/Reuters
Fotogaleria
GONZALO FUENTES/Reuters
Fotogaleria
GONZALO FUENTES/Reuters
Fotogaleria
YOAN VALAT/EPA

 A manifestação do 1.º de Maio em Paris está pintada de negro, com vários manifestantes completamente vestidos de preto, cara tapada e luvas, apresentando todas as características dos militantes radicais conhecidos como black blocs.

O cortejo do 1.º de Maio, organizado tradicionalmente pelas forças sindicais e este ano reforçado pelo movimento Coletes Amarelos, vai percorrer esta tarde as ruas da capital francesa entre a estação de Montparnasse e a Praça d'Italie, concentrando-se na margem esquerda do Sena.

Perante a ameaça de uma tarde tensa devido à afluência de black blocs vindos de toda a Europa, os controlos em Paris e nos seus arredores começaram na tarde de terça-feira e só na manhã desta quarta-feira já tinham sido detidas 35 pessoas, assim como apreendidas armas brancas e materiais usados para fazer cocktails molotov.

Junto à Gare de Montparnasse os manifestantes estão a ser revistados e em diferentes entradas da capital os veículos estão a ser mandados parar, os condutores identificados e material suspeito está a ser apreendido.

Há 7400 polícias destacados.

No entanto, entre os manifestantes que estão identificados com “coletes amarelos” e os que pertencem aos sindicatos, vários indivíduos estão de cara tapada e vestidos de negro, indicando que a manifestação foi infiltrada pelos black blocs, podendo degenerar em confrontos violentos com a polícia.

Sugerir correcção