Europeias: Televisões vão dar mais voz a quem já tem eleitos

A RTP e a SIC vão colocar os principais candidatos a debater entre si as suas propostas para a Europa nos dias 1 e 20 de Maio. Os partidos mais pequenos e os novos terão espaço mais reduzido em antena.

Fotogaleria
Debate das eleições de 2014 Nuno Ferreira Santos
,SIC Notícias
Fotogaleria
Enric Vives-Rubio

A queixa habitual de que nesta campanha eleitoral para o Parlamento Europeu não se vai falar de Europa é bem capaz de vir a ser confirmada nos escassos debates televisivos entre os cabeças de lista que irão ter lugar nos canais de sinal aberto. A RTP e a SIC optaram por fazer debates separados, colocando a discutir entre si, numa noite, apenas os partidos que já têm hoje representação em Bruxelas, e, à parte, noutra ocasião, os partidos mais pequenos e os novos (que perfazem 12 forças políticas). A única diferença é que a SIC vai incluir também o candidato Marinho Pinto no debate dos grandes.

Só a RTP vai ter também debates a dois, mas serão igualmente entre os cinco partidos. O PÚBLICO contactou a TVI, mas o canal ainda não terá definido a sua estratégia para a cobertura das europeias, incluindo para os debates.

Com este cenário em cima da mesa, é expectável que as forças partidárias que ficam de fora do debate dos “grandes” se apressem a fazer queixa à Comissão Nacional de Eleições (CNE) por não estarem a ser tratadas com a devida igualdade. Os canais contra-argumentam com a liberdade editorial.

Primeiro debate: 1 de Maio

O primeiro embate entre Pedro Marques (PS), Paulo Rangel (PSD), Nuno Melo (CDS), João Ferreira (CDU), Marisa Matias (BE) e Marinho Pinto (ex-MPT, actual PDR) terá lugar na SIC e na SIC Notícias na noite de 1 de Maio. Depois, os cinco primeiros hão-de voltar a encontrar-se na RTP, no dia 20, já a menos de uma semana das eleições.

Os canais consideram ser “impraticável fazer debates com 12, 15 ou mais pessoas”, e muito menos seguir o modelo dos frente-a-frente. Por isso, o critério foi o de colocar a esgrimir argumentos perante os telespectadores apenas os que já têm assento no Parlamento Europeu.

A excepção é Marinho Pinto, que em 2014 se candidatou pelo MPT (na altura com José Inácio Faria) e saiu entretanto do partido para fundar o seu, o PDR – Partido Democrático Republicano, pelo qual assume o primeiro lugar na lista. Daí que o antigo bastonário dos advogados tenha cadeira reservada no debate dos “grandes” na SIC - o director de Informação da SIC, Ricardo Costa lembra que em 2014 Marinho Pinto conseguiu arregimentar para o MPT uma votação de 7% e dois eurodeputados. A RTP, por seu lado, optou por se ficar pelo critério da representação partidária actual no Parlamento Europeu - e o partido pelo qual Marinho Pinto se candidata agora (o PDR), não está em Bruxelas.

O tratamento a dar aos partidos mais pequenos e aos novos – grupo em que se inclui a Aliança, de Pedro Santana Lopes – difere. A RTP1 terá um debate com as 12 forças políticas na noite de 13 de Maio; a SIC e a TVI ainda não definiram o modelo para os tratar. O director de Informação da SIC diz ao PÚBLICO que há-de convidar os candidatos dos partidos mais pequenos, mas ainda não definiu o modelo (se é debate ou entrevistas) nem o canal (na generalista ou na SIC Notícias). 

Por seu lado, a RTP vai fazer também debates a dois, os chamados frente-a-frente, entre os cinco partidos que têm representação (PS, PSD, CDS, CDU e BE). Uns serão em directo, outros gravados, sendo emitidos na RTP3, em horário nobre, no programa 360º.

O canal público irá ainda aplicar um formato diferente aos candidatos dos partidos novos e mais pequenos, com entrevistas informais, fora do estúdio, que deverão ser emitidas na RTP3.

Debates com antigos eurodeputados e mandatários

A RTP é o canal que vai dar o pontapé de saída oficial dos debates: nesta segunda-feira, dia 29, a RTP1 reúne à mesma mesa antigos eurodeputados com experiências em legislaturas diferentes. Será um debate a quatro, com o social-democrata Pacheco Pereira, o socialista Francisco Assis, o centrista José Ribeiro e Castro, o comunista Carlos Carvalhas e a bloquista Alda Sousa. “Não é uma discussão partidária; é sobre o que cada um conseguiu (ou não) fazer de diferente, acerca da sua vivência como eurodeputado e também sobre os grandes temas do presente e do futuro europeu”, descreve ao PÚBLICO a directora de Informação.

O segundo debate preparatório na RTP será a 6 de Maio, entre os mandatários das campanhas também dos partidos “velhos” – com assento parlamentar europeu, entenda-se -, juntando personalidades tão diversas como um comissário europeu, um actor, uma jornalista, uma jovem de 18 anos e um gestor.

Em termos de acompanhamento da temática europeia e de preparação sobre o que representam estas eleições para os 28 Estados-membros, a RTP tem já na televisão e na rádio os programas Europa Minha e De Lisboa a Helsínquia (que contam com apoio europeu). E a partir de dia 9, precisamente na comemoração do Dia da Europa, lança o Diário Europa, na RTP3, que irá acompanhar e analisar o dia de campanha dos vários candidatos que já andam no terreno.

Por seu turno, como a SIC ainda está a delinear a sua estratégia, é possível que venha a ter um programa especial para acompanhar a campanha, admite Ricardo Costa, que realça ainda uma sondagem na antevéspera das eleições sobre como os portugueses olham a Europa.

Notícia actualizada às 13h: especifica que a RTP não incluirá Marinho Pinto no seu debate de dia 20 de Maio entre os primeiros candidatos dos partidos que já têm assento parlamentar em Bruxelas; e que no debate da RTP dos antigos eurodeputados o Bloco será representado por Alda Sousa.