Zelenskii quer relançar processo de paz no Leste da Ucrânia

O próximo Presidente da Ucrânia é um actor cómico sem experiência política que conseguiu 73% dos votos.

,Stevo Pendarovski
Fotogaleria
LUSA/TATYANA ZENKOVICH
,Eleição presidencial ucraniana, 2019
Fotogaleria
LUSA/TATYANA ZENKOVICH
Fotogaleria
LUSA/TATYANA ZENKOVICH
,Eleição presidencial ucraniana, 2019
Fotogaleria
LUSA/STEPAN FRANKO
,Ucrânia
Fotogaleria
LUSA/STEPAN FRANKO
,Ucrânia
Fotogaleria
LUSA/TATYANA ZENKOVICH

O humorista recém-chegado à política Volodimir Zelenskii​, que — de acordo com as sondagens à boca da urna — venceu as eleições presidenciais ucranianas de domingo com uma larga maioria, disse que deseja “relançar” o diálogo com a Rússia para fazer avançar o processo de paz no Leste da Ucrânia.

“Vamos avançar com o processo de Minsk, vamos relançá-lo”, disse o Presidente eleito na primeira conferência de imprensa após a divulgação da sondagem, numa alusão aos acordos de paz para o Leste separatista assinados em Fevereiro de 2015 pelos Governos de Kiev, Moscovo, Paris e Berlim.

O primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, disse que Moscovo tem “uma oportunidade” para melhorar as relações com a Ucrânia após a eleição do novo Presidente. “Há uma oportunidade para melhorar a cooperação com o nosso país”, escreveu numa rede social.

O presidente cessante, Petro Poroshenko, um milionário dono de uma conhecida fábrica de chocolates, reconheceu esta segunda-feira a derrota e felicitou o adversário, prometendo, no entanto, não deixar a vida política.

As sondagens à boca das urnas davam a Poroshenko apenas 25% dos votos. “[As sondagens] são claras e dão-me todas as razões para telefonar ao meu adversário e felicitá-lo”, disse aos apoiantes. “Aceito a decisão. Deixo as minhas funções, mas quero sublinhar: não deixo a política”, acrescentou.

Esta segunda-feira, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, disse que o novo Presidente ucraniano terá o apoio da União Europeia na luta pela “soberania, independência e integridade territorial”. 

O presidente da Comissão Europeia mencionou o progresso da Ucrânia na procura de uma “democracia pacífica e próspera”. Jean-Claude Juncker declarou-se também disponível para ajudar o país a “consolidar a lei, lutar contra a corrupção, manter a estabilidade macro-financeira e continuar os trabalhos de reforma do sector energético”. 

Actor cómico, Zelenskii, chegou à política com 41 anos, depois de uma carreira de quase duas décadas a fazer troça dos políticos ucranianos. Durante a campanha, não fez comícios, fez espectáculos de stand-up comedy; não deu entrevistas, publicou vídeos engraçados nas redes sociais e também não fez promessas, dizendo apenas que queria “escutar” os seus apoiantes. A estratégia convenceu os eleitores e a vitória na segunda volta confirmou-se este domingo. 

As eleições legislativas estão previstas para o final de Outubro.